Dietas e Dieta

------------------------

Dieta para pressao alta.

Que alimentos ajudam no tratamento da pressão alta?

A pressão arterial é a força com a qual o sangue passa pela parede das artérias durante a circulação. A pressão alta, ou hipertensão, é um problema de saúde que acomete cerca de 15 milhões de brasileiros, e seus sintomas não se manifestam até que os danos tenham sido causados. Numericamente a pressão alta é definida como pelo menos 140 (sistólica)/90 (diastólica) mm Hg.
O que causa

A maioria dos casos de pressão alta tem causa desconhecida, e isso é chamado de hipertensão essencial ou primária. Os fatores que aumentam o risco de hipertensão são obesidade, tabagismo, ingestão abusiva de bebidas alcoólicas, sedentarismo, histórico familiar, estresse e uma alimentação rica em sal (sódio).

Como os alimentos podem ajudar

Para o controle da pressão arterial, os especialistas recomendam uma alimentação com pouca gordura saturada e rica em legumes e verduras, grãos integrais e laticínios com pouco teor de gordura. Vários nutrientes, como cálcio, fibra alimentar, magnésio, potássio e vitamina C, são abundantes em muitos desses alimentos e podem baixar muito a pressão arterial.

orduras benéficas para o coração, as monoinsaturadas e ômega-3, podem reduzir a pressão arterial e são recomendadas em vez das saturadas e trans, nada saudáveis e encontradas principalmente na proteína animal e em alimentos industrializados, podendo obstruir as artérias e aumentar a pressão arterial.

Evite comer
A maioria dos pesquisadores aconselha uma dieta pobre em sódio para ajudar a reduzir a pressão arterial.

Algumas pessoas, principalmente idosos e diabéticos, apresentam sensibilidade ao sódio e podem ser beneficiadas se consumirem alimentos com pouco teor desse mineral.

Muitos especialistas recomendam a ingestão de não mais de 2.400 mg de sódio por dia para indivíduos saudáveis. A melhor maneira de diminuir a ingestão de sódio é evitar adicionar sal à comida. Evite, também, a maioria dos alimentos industrializados, que geralmente contêm muito sódio

Estudos indicam que doses moderadas de proteína, especialmente vegetal, estão relacionadas a manutenção da pressão arterial saudável. Legumes, alimentos à base de soja e grãos, como a quinoa, fornecem quantidade adequada de proteína sem gordura saturada.

Acredita-se que a arginina, um tipo de proteína, auxilie nos casos de hipertensão porque eleva a quantidade de óxido nítrico - uma substância que atua na dilatação dos vasos sanguíneos.
Vários fitoquímicos também podem ajudar a controlar a pressão arterial. Dados epidemiológicos associam uma alimentação rica em flavonóides (encontrados em muitas frutas, legumes e verduras) à saúde da pressão arterial; os cientistas acreditam que os flavonóides podem relaxar os vasos sanguíneos, baixando a pressão.

Os compostos sulfurosos do alho e das cebolas podem auxiliar na dilatação dos vasos sanguíneos e ajudar a reduzir tanto a pressão diastólica quanto a sistólica, conforme algumas evidências clínicas.
Um fitoquímico encontrado no aipo, a ftalida, também pode contribuir para a redução da pressão arterial, por diminuir os níveis de hormônios do estresse, que contraem os vasos sanguíneos.

Embora sem comprovação, acredita-se que a rutina, um fitonutriente abundante nas maçãs e no trigo-sarraceno, diminua a pressão arterial, estabilizando os vasos sanguíneos e prevenindo a retenção de líquido no corpo.

Seu arsenal alimentar

Alimentos Nutrientes Benefícios para a saúde

Frutos do mar Linhaça
Peixes gordurosos

Ácidos graxos ômega-3 Pesquisas indicam que estas gorduras cardioprotetoras podema ajudar o sangue a circular mais livremente, reduzindo a pressão arterial.

Brócolis
Couve
Espinafre
Figo
Laticínios

Cálcio De acordo com alguns estudos populacionais, níveis baixos de cálcio estão relacionados com um risco maior de pressão alta, particularmente em pessoas sensíveis ao sódio e idosos.

Aspargo
Lentilha
Romã

Fibras alimentares Estudos demonstraram uma grande associação entre o alto consumo de fibras e a baixa pressão arterial.

Amaranto
Quinoa
Sementes

Magnésio Estudos alimentares relacionam a ingestão de magnésio com a redução da pressão arterial.

Abacate
Banana
Batata
Quinoa

Potássio Muitas pesquisas indicam que uma alimentação rica em potássio pode melhorar a pressão arterial. Acredita-se que a ingestão de doses elevadas de potássio seja tão importante quanto a ingestão moderada de sódio nos casos de hipertensão.
Brócolis Frutas cítricas Frutas silvestres Pimentão Vitamina C
Estudos clínicos preliminares e populacionais sugerem que a vitamina C pode ser benéfica por dilatar os vasos sanguíneos e promover a excreção de toxinas ambientais, como o chumbo, que podem contribuir para o aumento da pressão arterial.
------------------------

A dieta para quem tem pressão alta.

A dieta para quem tem pressão alta

Sal: Diminuir o sal da comida, nunca ultrapassar 6 gramas por dia, ou seja, 1 colher das de chá para toda alimentação diária. Retire o saleiro da mesa e use temperos naturais como limão, cebola, alho e cheiro verde.

Gordura: A relação de ácido graxo polinsaturado/saturado na dieta pode afetar a pressão sanguínea. Em pacientes normais ou hipertensos moderados, um aumento na relação ácido graxo polinsaturado/saturado para 1 ou mais, em dietas com aproximadamente 25% de gordura, tem sido associado com queda na pressão sanguínea.

Portanto, para manter essa relação evite gorduras de origem animal, de preferência para óleos vegetais principalmente azeite de oliva.

O mecanismo de ação dos ácidos graxos polinsaturados na pressão sanguínea parece estar associado ao metabolismo do ácido linoleico. Assim, é recomendado que os ácidos graxos saturados da dieta não devem exceder 10% do total energético e que, a gordura total corresponda somente a 20-30% do Valor Calórico Total.

Fibras: Muitos estudos têm sugerido que pode ocorrer uma queda na pressão arterial com o aumento da ingestão de fibras. Não se conhece o mecanismo desta ação mas, acredita-se que quando há um aumento na dieta de alimentos vegetais, consequentemente, há um aumento na ingestão de ácidos graxos polinsaturados, K e Mg que também tem efeito antihipertensivo.

Álcool: O consumo de álcool, apesar de promover um relaxamento, deve ser desencorajado, já que mesmo em pequenas doses ele promove uma elevação na pressão sanguínea.

Por isso, para os homens o uso de bebidas destiladas (uisque, vodca, aguardente) não deve exceder 60 ml ao dia; o vinho não deve exceder 240 ml e a cerveja a 720 ml. Com relação as mulheres e pessoa de baixo peso a ingestão alcoólica não deve ultrapassar a metade da permitida para os homens.

Cafeína: A cafeína contida no café tem sido indicada como um possível agente hipertensivo. Esta, porém, pode elevar a pressão arterial apenas momentaneamente. Recomenda-se então, que os pacientes não tomem café uma hora antes da verificação de pressão arterial.
-------------------------

Oito alimentos que ajudam a combater a hipertensão.

Doenças cardiovasculares são responsáveis pelo maior número de mortes no Brasil e em mais da metade dos casos ela é decorrente da pressão alta. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão, a pressão arterial elevada atinge 30% da população adulta brasileira e está presente em mais de 50% das pessoas na terceira idade.

Embora não tenha cura, a hipertensão pode ser controlada e evitada com algumas mudanças de hábito. E se você já pensou não tenho tempo para praticar exercícios ou qualquer coisa semelhante, saiba que apenas incluindo alguns alimentos em sua dieta, a prevenção e o controle já são desenvolvidos naturalmente pelo seu organismo. Confira a seguir oito desses alimentos

Aveia
A aveia faz parte do grupo dos carboidratos e é uma excelente fonte de fibras, vitaminas e minerais", explica Cátia Medeiros, especialista em nutrição clínica pelo Ganep-SP e membro da clínica Espaço Nutrição. O alimento auxilia no processo de emagrecimento por retardar o esvaziamento gástrico, o que prolonga a sensação de saciedade.

Desse modo, ele auxilia no controle da glicose sanguínea, sendo uma importante ferramenta para hipertensos. Além disso, a aveia contém magnésio que, em união com o cálcio, ajuda no relaxamento da musculatura, diminuindo o inchaço do corpo.

Amêndoa e noz
Por serem boas fontes de magnésio, amêndoas e nozes atuam como vasodilatadores, ou seja, ampliadores dos vasos sanguíneos, o que auxilia no controle da pressão arterial. Esses alimentos também são ricos em vitamina E, um dos principais antioxidantes naturais existentes, que ajudam a retardar o envelhecimento e diversas complicações cardíacas, como explica a nutricionista Cátia Medeiros.

Alimentos ricos em ômega 3
Presente em alimentos como sardinha, salmão, atum, linhaça e azeite, os ácidos graxos ômega 3 devem ser consumidos por pessoas com hipertensão em uma dose acima do valor diário recomendado normalmente, aponta a nutricionista Cátia Medeiros.

Estudos comprovam que a ingestão dessa substância está intimamente relacionada à diminuição da vasoconstrição e ao aumento da vasodilatação. Em outras palavras, o ômega 3 não só dificulta a síntese responsável por contrair os vasos sanguíneos como ainda facilita a síntese que promove a sua abertura.

Ervas
O que a salsa, a cebolinha, o coentro, o alecrim, a sálvia, o manjericão, o louro e o tomilho têm em comum? Todos são ótimos temperos naturais e, por isso, podem substituir como nenhum outro alimento o uso do sal. "Reduzindo o sal, também há diminuição da ingestão de sódio, um dos principais vilões dos hipertensos", alerta a nutricionista Cátia Medeiros. O sódio favorece a retenção de líquidos no organismo, aumentando a pressão arterial e elevando o risco de doenças renais e cardiovasculares.

Alho
Ótima fonte de vitamina C, o alho tem alto poder antioxidante, atuando na diminuição de radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce, pelo câncer e até por doenças cardíacas. Além disso, a combinação de diversos elementos presentes nesse alimento, como o magnésio, auxilia - ainda que de forma singela - na dilatação dos vasos sanguíneos, reduzindo a pressão e facilitando a circulação do sangue.

Cereais integrais
Eles reduzem as chances de diabetes, previnem o câncer, ajudam a manter o peso e ainda são grandes combatentes da hipertensão. Motivos não faltam para incluir cereais integrais, como farelo de aveia e gérmen de trigo, na sua dieta.

O grande mérito desses alimentos é a concentração de magnésio, que, segundo a nutricionista Cátia Medeiros, estimula a dilatação dos vasos sanguíneos, reduzindo, por tabela, o inchaço típico de pessoas que retêm líquidos.

Alimentos ricos em potássio
Se, por um lado, o sódio estimula a retenção de líquidos no organismo, aumentando a circulação sanguínea e, consequentemente, a pressão arterial, o potássio age como um natriurético, estimulando a eliminação do sódio presente no corpo. Assim, alimentos ricos nesse elemento são muito recomendados para hipertensos. "O potássio está presente no inhame, no feijão preto, na abóbora, na cenoura, no espinafre, no maracujá, na laranja, na banana e em diversos outros alimentos", explica Cátia.

Leite e derivados
Importantes fontes de cálcio, leite e derivados não podem ficar de fora da dieta de pessoas com hipertensão. O cálcio funciona como hipotensor, ou seja, atua na diminuição da pressão sanguínea, uma vez que estimula a eliminação de sódio.

A grande vantagem desses alimentos é o fato de pequenas porções apresentarem grande concentração do mineral. A nutricionista ainda recomenda que sejam consumidas as versões desnatadas e com baixo teor de gordura, como o queijo branco.
-------------------------

Dieta para Hipertensão Arterial – Pressão Alta – Orientações Nutricionais.

pressão arterial é a força que o sangue faz contra a parede das artéris quando é bombeado pelo coração. Quando esta pressão está muito elevada é o que chamamos de Hipertensão arterial ou Pressão Alta.

No adulto, a pressão sanguínea normal é 130mmHg por 80 mmHg e acima de 140mmHg por 90mmHg pode ser caracterizada como hipertensão arterial.

A Hipertensão arterial é fator de risco para diversas doenças, pricipalmenteInfartos e Derrames.

A hipertensão é uma doença genética, mas existem alguns fatores de risco que podem provocar no aumento da pressão sanguínea como o excesso de sal na alimentação, bebida alcoólica em excesso, obesidade e sedentarismo.  É uma doença que não tem cura mas, seguindo alguns hábitos alimentares sudáveis, sua pressão pode ser reduzida e controlada.

Realize de 5 a 6 refeições por dia  (Café da manhã, lanche, almoço, lanche, jantar e ceia). Nos lanches prefita frutas ou alimentos leves;

Aumente o consumo de alimentos ricos em fibras como frutas, verduras, legumes, leguminosas (feijões), cereais integrais como arroz e pão integral e farinhas de aveia, trigo, linhaça , etc;

O hipertenso deve diminuir a quantidade de sal nos alimentos. O ideal são 2 colheres de café de sal por dia (6g). Pode ser difícil no começo, mas em aproximadamente 3 semanas o seu paladar estará acostumado aos sabores naturais dos alimentos. Uma dica é usar e abusar das ervas e especiarias para dar sabor aos alimentos.

Verifique sempre o rótulo dos alimentos e evite aqueles que possuam uma grande quantidade de sódio.

Alimentos ricos em ômega 3 ajudam no controle da hipertensão, então aumente o consumo de peixes como salmão, sardinha, atum, óleo de canola e linhaça.

A regra é uma dieta rica em fibras e pobre em gorduras. Pães integrais, farelo de trigo, aveia e linhaça são permitidos. Leites, iogurtes e queijos desnatados. Abuse de frutas e verduras.

Preferir

  • Alimentos cozidos, assados, grelhados ou refogados.
  • Temperos naturais como limão, ervas, alho, cebola, salsa e cebolinha.
  • Verduras, legumes, frutas, grãos e fibras.
  • Peixes e aves preparadas sem pele.
  • Produtos lácteos desnatados.
  • Queijo branco
  • Pão integral com pouco sal e cereais integrais
  • Massas, batata, arroz e bolachas sem sal
  • Alimentos naturais

Limitar

  • Sal
  • Bebidas alcólicas e refrigerantes
  • Gema de ovo: no máximo 3 por semana.
  • Margarinas, consuma as SEM SAL.

Evitar

  • Açúcares e doces.
  • Temperos industrializados como ketchup, mostarda, molho shoyu e caldos concentrados
  • Conservas como picles, azeitona, aspargo, patês e palmito
  • Frituras.
  • Enlatados como extrato de tomate, milho e ervilha
  • Alimentos conservados em sal
  • Salgadinhos como batata frita, amendoim salgado, etc
  • Derivados de leite na forma integral, com gordura (Prefira desnatados).
  • Carnes vermelhas com gordura aparente e vísceras.

Aumente o consumo de alimentos ricos em potássio

Estudos  indicam que o aumento do consumo de potássio ajuda na redução da pressão arterial e preserva a circulação cerebral. Aumentar o consumo de vegetais crus, pois com o cozimento há uma grande perda do potássio dos alimentos.

---------------------------

Dieta para diminuir hipertensão e evitar infarto vira moda nos EUA.

Dieta dash foca ingestão em carnes magras, frutas, vegetais e cereais.
Proposta reduz consumo de sódio e aumenta o de cálcio e potássio

Uma dieta para reduzir a pressão arterial e, consequentemente, o risco de problemas cardiovasculares tem ganhado adeptos nos EUA, com promoção do Instituto Nacional de Coração, Pulmão e Sangue americano.

A dieta dash sigla em inglês para abordagem dietética para interromper a hipertensão concentra a ingestão de alimentos em carnes magras, frutas, vegetais, laticínios desnatados e cereais integrais.

Além disso, reduz consideravelmente o consumo de sódio a 2,4 g por dia – a recomendação da Organização Mundial da Saúde OMS é de até 5 g por dia, e o brasileiro consome três vezes esse valor. Também busca aumentar os níveis de cálcio, potássio e magnésio nas refeições.

De acordo com a nutricionista Mariana del Bosco, da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica(Abeso, o aumento de cálcio e potássio na alimentação interfere na maior eliminação de sódio pelo rim, o que facilita a redução da hipertensão.

Os benefícios também acabam passando pela diminuição da gordura saturada e de doces, o que tem impacto direto sobre os níveis de colesterol no sangue.

Segundo a nutricionista Mônica Beyruti, também da Abeso, essa não é uma dieta propriamente dita, mas um programa alimentar que serve de orientação para quem tem pressão alta.

“Dieta tem conotação de restrição. E a dash já existe há mais de dez anos e nunca deixou de ser usada. O que os especialistas estão fazendo agora é uma nova classificação de dietas e incluindo essa como top. Americanos adoram rankings”, afirma Mônica.

Restrição calórica
Em geral, a dash diet não prevê muita restrição calórica: a pessoa pode consumir 2 mil kcal por dia, desde que de alimentos saudáveis – já que o objetivo direto não é perder peso, mas uma consequência, se necessário.

Há pessoas que não conseguem emagrecer sem restrição de calorias. A especialista destaca também que esse plano alimentar deve ser potencializado com um peso saudável e a prática regular de exercícios físicos.

Segundo ela, cortar de 500 kcal a 1.000 kcal é suficiente para um emagrecimento com saúde, o que pode resultar entre 1 kg a 4 kg a menos no fim do mês.

Antes de 2006, o Ministério da Saúde recomendava 2.200 kcal por dia para um adulto médio. Hoje já são 2.000 kcal. A perda de peso é sempre consequência de um balanço negativo de energia, destaca Mariana.

Segundo ela, um profissional não recomenda dietas da moda aos pacientes, mas adaptações de várias propostas que se adapte a cada caso.

------------------------------

Hipertensão/Pressão Alta.

Alimentos para a hipertensão

Mesmo que em 90% dos casos de hipertensão não haja uma causa identificável, existem vários fatores associados ao seu desenvolvimento, e o excesso de peso é um deles. Ele é responsável pelo aumento de 2 a 6 vezes do risco de hipertensão. Os hipertensos com excesso de peso devem adotar programas de redução de peso.

Segundo as IV Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, o índice de massa corporal peso/altura2 deve ser inferior a 25kg/m2 e a circunferência da cintura inferior a 102cm para homens, e 88cm para mulheres. Mesmo a redução de 5% a 10% do peso inicial já é capaz de produzir uma redução na pressão arterial.

Está estabelecido que uma dieta equilibrada é aquela constituída pela ingestão de frutas, verduras, derivados de leite desnatado, e alimentos com quantidade reduzida de gorduras saturadas e colesterol. Mas o hipertenso deve atentar-se ainda a outros cuidados com sua dieta.

É extremamente importante que as pessoas com hipertensão reduzam a quantidade de sal na elaboração de refeições e retirem o saleiro da mesa. Isso porque, no corpo humano, o sal age como uma esponja retendo água nos tecidos, permitindo uma elevação da pressão arterial.

O sódio é encontrado naturalmente em quase todos os alimentos que ingerimos, mesmo que sem a adição de sal na preparação e ainda que não tenha sabor salgado. Esta pequena quantidade de sal é capaz de suprir as necessidades diárias do organismo.

As novas Diretrizes prescrevem a ingestão de até 6g/dia de sal (2 colheres de chá rasas ou 4g, além das 2g de sal já presentes nos alimentos naturais). Os especialistas recomendam ainda que se dê preferência a temperos naturais como limão, ervas, alho, cebola, salsa e cebolinha, ao invés dos industrializados.

Alimentos com alto teor de gordura são também aquela com maior quantidade de sal. As fontes industrializadas (enlatados, conservas, defumados etc.) são igualmente ricas em cloreto de sódio.

A ingestão de potássio também é prescrita. O potássio é uma fonte mineral cujas propriedades têm efeitos favoráveis em relação à redução da pressão. Ele é encontrado principalmente em frutas, legumes e vegetais de cor verde-escura. A dieta rica em vegetais e frutas contém 2 a 4g de potássio por dia e pode ser útil na redução da pressão e na prevenção da hipertensão arterial.

ÁLCOOL

A relação entre o alto consumo de bebida alcoólica e a elevação da pressão arterial tem sido estudada em várias pesquisas. Algumas delas já demonstraram que a redução da ingestão de álcool pode reduzir a pressão arterial naquelas pessoas que consomem grandes quantidades de bebidas alcoólicas.

A recomendação dos médicos é a seguinte: para os homens a ingestão diária não deve ultrapassar 1 garrafa de cerveja, ou 2 taças de vinho ou 1 dose de destilados. Mas atenção: para as mulheres, homens de baixo peso ou pessoas obesas, esses valores caem para a metade. Para os especialistas, o ideal mesmo é abandonar o consumo de álcool.

A dieta do hipertenso deve conter baixo teor de gordura, principalmente saturadas, baixo teor de colesterol e sódio e elevado teor de potássio e fibras.

Importante também é que a dieta seja acompanhada de hábitos de vida saudáveis: prática de atividade física regular, abandono do tabagismo, ingestão moderada de bebidas alcoólicas, controle do estresse e manutenção do tratamento medicamentoso, quando houver.
------------------------

Hipertensão e Alimentação.

Quando pensamos em hipertensão arterial não podemos esquecer de sua relação com o excesso de sal. Muitas vezes, quando o médico aconselha tirar o sal da comida, pensamos apenas no sal da preparação dos alimentos.

Mas será que é somente aí que encontramos o sódio? Não podemos esquecer que a substância do sal, o sódio, nem sempre tem o gosto salgado. É só pensarmos no catchup, na mostarda e no refrigerante.

Quando vamos ao supermercado estamos rodeados de produtos riquíssimos em sódio. O tempero pronto industrializado, que dá aquele sabor diferenciado ao alimento, é um ótimo exemplo disso.

Além de conter muito sódio, é riquíssimo em gorduras ruins que são prejudiciais ao coração.

Os produtos congelados, que são tão práticos e se encaixam perfeitamente à nossa rotina do dia a dia, como a lasanha, a pizza, entre outros, possuem uma quantidade excessiva de sódio.

Quem nunca ficou deslumbrado na seção dos frios?

São tantas as opções. Mortadella, presunto, peito de perú, mussarela, queijo prato, apresuntado, salame, rosbife. Todos são ricos em sódio.

A salsicha, lingüiça, nuggets, peixes empanados, hambúrguer, almôndega, conservas, molhos prontos, carne seca, bacalhau não podiam ser diferentes, ou seja, todos são ricos em sódio.

Mas será que sobra algo para comermos?

Sobra sim!

Para temperar basta utilizar temperos naturais. Vamos conhecer um pouco mais sobre eles?

ALHO – ajuda a melhorar sistema imunológico, reduz colesterol ruim, aumenta o colesterol bom e previne câncer.

CEBOLA – assim como o alho, auxilia na redução do colesterol ruim e aumenta o colesterol bom. Também ajuda na redução da pressão arterial e colabora para evitar o entupimentos das artérias.

 GENGIBRE – é analgésico, anti-inflamatório, vermífugo e ajuda na digestão. Além disso, reduz o desejo de fumar.

 SALSA – Tem ação diurética, digestiva e anti-séptica. Ajuda nas infecções do aparelho urinário.

ALECRIM – é digestivo e diurético.

 CEBOLINHA – contém vitamina A (bom para olhos e pele),  C (ajuda na resistência contra gripes e resfriados) e ferro.

HORTELà– o chá de hortelã, feito das folhas, é diurético, digestivo e melhora a dor de estômago. Nas folhas há presença de vitaminas A, C e do complexo B, além dos minerais cálcio, fósforo, ferro e potássio.

 TOMILHO – É considerado digestivo, vermífugo e estimulante.

 ORÉGANO – ajuda na azia, enjôos e flatulência.

 MANJERICÃO – Possui ação diurética.

Portanto, a comida do hipertenso somente será “sem sabor” se não soubermos aproveitar esses temperos deliciosos e maravilhosos para a saúde.

Em relação aos frios, é melhor evitar. Sobre o hambúrguer e a almôndega é fácil de resolver o problema. É só prepará-los em casa.

Compre carne moída de segunda qualidade (coxão mole, duro, palheta, patinho), que são carnes mais magras, tempere utilizando os temperos naturais e asse no forno. Pronto. Saboroso e gostoso, você não sentirá falta do hambúrguer industrualizado.

Em relação a salsicha e a lingüiça, fica mais complicado dar um jeitinho de fazer em casa. Portanto, esses produtos devem ser consumidos esporadicamente quando a pressão arterial estiver controlada e você não esteja nervoso no dia.

Agora vamos conhecer os tipos de sais que mais encontramos nos supermercados e entender qual é a melhor escolha para você que tem a pressão arterial alta.
------------------------------


Dietas e Dieta

Tudo Sobre Emagrecer Emagrecedor.info