Dieta

------------------------

dieta para figado gorduroso.

Dieta de fígado gordo – fazer e não fazer para se livrar da doença de fígado gordo (GORDUROSA)
Esteatose não é fatal, mas ele tem uma tendência de alta para avançar em mais perigosas doenças hepáticas como hepatite, cirrose do fígado, cancro do fígado e a condição de pior que é a necrose hepática".
Ela continua a enfatizar a importância de regular sua ingestão de alimentos com uma dieta altamente nutritiva focada em peso loss.?

Doença hepática gordurosa não alcoólica é um problema de saúde complexos que podem agravar-se por uma dieta de alto teor de gordura ou alto de carboidratos, obesidade, tipo 2 diabetes (milletus de diabetes), resistência à insulina, hiperinsulinemia e metabólicas.

De longe, as coisas mais importantes a serem considerados para inverter esteatose são alterações nutricionais e perda de peso. O melhor plano de dieta para livrar-se de uma doença hepática não alcoólicas gorda (GORDUROSA) irá focar dando-lhe a correta orientação nutricional e conselhos úteis que é fácil de seguir.regras e proibições" pensar ao planejar sua dieta de fígado gorda. Estas dicas são destinadas a reduzir o excesso de gordura em seu fígado e incorporar essas mudanças em sua dieta diária e estilo de vida:
Comer vitamina particularmente os alimentos que são ricos em vitamina C, vitamina e e vitaminas do complexo B.
Coma alimentos ricos minerais, especialmente os alimentos que são elevado ácido fólico (ácido fólico), manganês e selênio.
Evite comer compulsivo aderindo a uma dieta equilibrada.
Coma pequenas refeições durante todo o dia, em vez de apenas um par de grandes refeições.
Não comer refeições no final da noite, comer mais de suas refeições no início do dia.
Não Coma alimentos de alto teor de gordura, especialmente as gorduras saturadas.
Não consumir muita bebidas alcoólicas ou bebidas de açúcar elevado como bebidas energéticas e refrigerantes.
Fazer exercício físico regularmente para perder peso lentamente, polegada por polegada.
Não tente "lose all at once" métodos de perda de peso como estas podem ser duras sobre seu fígado.
Não coma carne vermelha, presunto, carne de porco ou alimentos fritos.
Coma magras carnes brancas, incluindo peixes, frango e Turquia.
Coma extras porções de legumes todos os dias, especialmente culturas hortícolas e legumes.
Não coma carboidratos simples, que incluem açúcar branco refinado, doces e sobremesas açucaradas.

------------------------

Fígado gordo como melhorar?

Fígado gordo – como melhorar?

Entre os fatores que o paciente pode controlar, inclui-se a perda de peso, uma alimentação saudável e exercício físico, aliás, todos eles essenciais a uma vida com qualidade quer se tenha ou não fígado gordo.
A esteatose hepática, vulgarmente conhecida por fígado gordo, é a acumulação de gordura no fígado que pode levar à sua inflamação ou, em casos mais graves, à cicatrização de tecido hepático, comparável ao que acontece na cirrose. As pessoas portadoras desta alteração normalmente não ingerem álcool ou fazem-no em pequenas quantidades. É uma situação bastante comum, que geralmente não apresenta sintomas e que, quando se manifestam, se caracterizam por fadiga, perda de peso ou dor no lado superior direito do abdómen e que, se não for tratada atempadamente, poderá conduzir à falência hepática. No entanto, em grande parte dos casos, a acumulação de gordura no fígado que surge pela incapacidade de este a metabolizar corretamente não acarreta complicações. Contudo, em algumas situações, esse excesso de gordura pode condicionar uma inflamação do órgão e impedir o seu normal funcionamento ou mesmo propiciar o aparecimento de cirrose não alcoólica essa, sim, com graves consequências.

Os fatores mais suscetíveis de provocar acumulação de gordura no fígado são níveis elevados de colesterol ou triglicerídeos no sangue, obesidade, diabetes tipo 2 ou alguns fármacos, entre outros.

Uma vez que a esteatose hepática pode ser assintomática, é importante estar atento a alguns sinais como amarelecimento da pele ou dos olhos, dor ou inchaço abdominal depois de comer, ou inchaço das pernas. Quando consultar o médico, relatar-lhe estes factos bem como a medicação que eventualmente possa estar a tomar.

Entre os fatores que o paciente pode controlar, inclui-se a perda de peso, uma alimentação saudável e exercício físico, aliás, todos eles essenciais a uma vida com qualidade quer se tenha ou não fígado gordo.

O que pode fazer?
Para perder peso, multiplique o seu peso por 30 se tem uma atividade muito sedentária ou por 35 se tem uma atividade moderada e subtraia 500 ou 1000 a esse valor. Obterá o valor calórico do plano alimentar que deve fazer para perder 0,5 kg (no caso das 500 cal) ou 1 kg (se subtraiu 1000 cal) por semana, o que representa 2-4 kg por mês.

Exemplo para 80 kg e atividade moderada: 80 x 35 = 2800. Se fizer uma dieta com 1800 calorias perderá cerca de 4 kg por mês, se escolher um plano com 2300 calorias perderá cerca de 2 kg por mês.

Nota: Não foram colocadas unidades para além das calorias, para facilitar o cálculo a todas as pessoas. Os planos alimentares podem encontrar-se nos livros "Peso, uma questão de peso" ou "Dietas sem dieta"

A dieta, além de excluir bebidas alcoólicas, deve ser rica em fibras o que significa abundante em frutas, hortícolas e cereais integrais, gorduras saudáveis como a do azeite, dos frutos secos (nozes e similares) e do peixe, e evitar alimentos processados e de pastelaria, laticínios gordos, carnes vermelhas e enchidos, açúcar e produtos açucarados. As gorduras, mesmo as saudáveis, devem ingerir-se em pequenas quantidades, o que significa 6-10 colheres de chá de azeite por dia conforme o peso.

Uma caminhada diária de 20-30 minutos por dia (10-15 minutos para cada lado...), mexer-se mais durante o dia subindo ou descendo escadas em vez de utilizar o elevador, não utilizar o carro em distâncias pequenas, etc., representam pequenos gestos mas com grande impacto na saúde.
-------------------------

O que é que nutrição tem a ver com seu fígado?

O que é que nutrição tem a ver com seu fígado?

Nutrição e fígado estão inter-relacionados de diversas maneiras. Algumas funções são claramente entendidas; outras não. Desde que tudo o que comemos, respiramos e absorvemos através de nossa pele deve ser purificado e desintoxicado pelo fígado, uma atenção especial à nutrição e dieta pode auxiliar a conservar o fígado saudável. Em um número variado de doenças hepáticas, a nutrição assume uma importância considerável.

Porquê o fígado é importante?

O fígado é o maior órgão do corpo humano e cumpre um papel vital, desempenhando variadas e complexas funções, essenciais à manutenção da vida. Seu fígado trabalha para você como uma usina de energia química. Embora existem muitas coisas que ainda não entendemos referentes ao fígado, nós já sabemos que é impossível viver sem ele, e que a saúde do fígado é um fator fundamental na qualidade de nossa vida.

-------------------------

Algumas funções relevantes do fígado são.

Algumas funções relevantes do fígado são:

> Converter os alimentos que ingerimos em energia armazenada e elementos químicos necessários à vida e o crescimento;

> Agir como um filtro para remover álcool e substâncias tóxicas da corrente sanguínea e converte-los em substâncias que possam ser excretadas do corpo;

> Processar drogas e medicamentos absorvidos pelo sistema digestivo, permitindo ao corpo usa-los de forma efetiva e a posterior eliminação dos mesmos.

Elaborar e exportar aos respectivos órgãos, elementos químicos essenciais utilizados pelo corpo. Um destes elementos é a bile, substância amarelo – esverdeada, essencial para a digestão de gorduras no intestino delgado.

Porquê o fígado é tão importante na nutrição?

De 85% a 90% do sangue que sai do estômago e intestinos leva importantes nutrientes ao fígado, onde esses nutrientes são convertidos em substâncias que o corpo pode utilizar.

O fígado desempenha muitas importantes e únicas funções metabólicas tais como processar carboidratos, proteínas, gorduras e minerais, a serem usados na manutenção normal das funções do corpo.

Carboidratos, ou açúcares são armazenados como glicogênio no fígado e são liberados como energia entre as refeições ou quando as demandas de energia do corpo são elevadas. Desta forma, o fígado auxilia a regular o nível de açúcar no sangue, e a prevenir uma condição chamada hipoglicemia, ou açúcar baixo no sangue. Isto nos possibilita manter um nível equilibrado de energia ao longo do dia. Sem este equilíbrio, nós necessitaríamos comer constantemente para conservar nossa energia.

Proteinas chegam ao fígado em sua forma mais simples, chamada de aminoácidos. Uma vez no fígado os aminoácidos são liberados nos músculos como energia e armazenados parra uso posterior, ou convertidos em uréia para sua excreção pela urina. Certas proteínas são convertidas em amônia, um produto metabólico tóxico, por bactérias no intestino ou durante uma queda de proteína do corpo. A amônia deve ser quebrada pelo corpo e convertida em uréia, sendo então excretada pelos rins. O fígado tem também a habilidade única de converter certos aminoácidos em açúcar para energia rápida.

Gorduras não podem ser digeridas sem bile, que é produzida no fígado, armazenada na vesícula biliar, e liberada conforme a necessidade no intestino delgado. A bile (especificamente "ácidos" biliares), age de maneira semelhante a um detergente, quebrando a gordura em pequenas gotículas que são absorvidas após sofrer a ação de enzimas intestinais. A bile é também essencial parra a absorção de vitaminas A, D, E, e K, que são lipossolúveis. Após a digestão, os ácidos biliares são reabsorvidos pelo intestino, retornam ao fígado, e são reciclados como bile mais uma vez.

Pode uma nutrição deficiente causar doença hepática?

Existem diversos tipos de doença hepática, e as causas de maioria delas são ainda desconhecidas. A falta de nutrição não é geralmente uma causa, com exceção de doença do fígado por alcoolismo e doença hepática encontrada entre populações desnutridas. É muito mais provável que a desnutrição seja o resultado de uma doença hepática crônica, e não sua causadora.

Por outro lado, uma boa nutrição (dieta balanceada com calorias, proteínas, gorduras e carboidratos adequados) pode realmente auxiliar um fígado danificado a regenerar novas células hepáticas. De fato, em algumas doenças do fígado, a nutrição se torna uma forma fundamental de tratamento. Os pacientes são enfaticamente aconselhados a NÃO tomar terapias com megavitaminas ou usar produtos nutricionais comprados em lojas especializadas ou por catálogo, sem antes consultar um médico.

De que modo a doença hepática afeta a nutrição?

Muitas doenças crônicas do fígado estão associadas com nutrição deficiente. Uma das mais comuns é a cirrose. Cirrose é a substituição de células danificadas do fígado por cicatrizes de tecido fibroso, que interrompem as importantes funções do fígado. A cirrose acontece como resultado da ingestão excessiva de álcool (causa mais comum), hepatites virais ordinárias, obstrução dos dutos biliares, e exposição a certas drogas ou substâncias tóxicas.

As pessoas com cirrose freqüentemente sentem perda de apetite, náusea, vômitos e perda de peso, o que provoca uma aparência emaciada. Somente a dieta deficiente não contribui ao desenvolvimento desta doença do fígado. Pessoas que estão bem nutridas, por exemplo, mas bebem grandes quantidades de álcool, se encontram também sujeitas a doença alcoólica.

Adultos com cirrose requerem uma dieta equilibrada, rica em proteínas, fornecendo entre 2.000 e 3.000 calorias diárias, para permitir a regeneração das células do fígado. Todavia, proteínas em excesso resultam em uma quantidade excessiva de amônia no sangue; por outro lado, proteínas muito baixas podem reduzir a recuperação do fígado. Os médicos devem prescrever cuidadosamente a quantidade correta de proteínas necessárias para uma pessoa com cirrose. Adicionalmente, o médico clínico pode utilizar duas medicações (lactulose e neomicina) para controlar os níveis de amônia no sangue.

Que outros problemas nutricionais são causados pela cirrose?

Quando as cicatrizes da cirrose interferem com o fluxo sanguíneo do estômago e intestino ao fígado, pode se desenvolver uma condição chamada de hipertensão portal. Isto simplesmente significa que há pressão posterior nas veias que entram no fígado. "Desvio" cirúrgico, ou redirecionar o sangue que sai do fígado para a circulação geral, pode aliviar esta pressão, mas isto freqüentemente causa uma nova série de problemas. Como o sangue foi "desviado" do fígado, ele contem altos níveis de aminoácidos, amônia, e possivelmente toxinas. Quando estes elementos alcançam o cérebro, causam uma condição chamada de encefalopatia hepática, que significa "impedimento mental causado pelo fígado". Os pacientes ficam confusos e sobrevém uma perda temporária de memória.

A nutrição pode ser usada para tratar encefalopatia hepática?

A restrição da quantidade de proteínas na dieta tem sido usada no passado, mas pode causar desnutrição. A maioria dos médicos prescreverá lactulose e / ou neomicina para pacientes em estas condições.

Alimentos a serem evitados: Mariscos e frutos do mar, quando ingeridos crus podem ser muito perigosos para pacientes com cirrose. Deve-se evitar os mariscos ou ser extremamente cuidadoso para cozinhar eles completamente. O Vibrio vulnificus, é uma bactéria que pode ser contraída ao comer ostras cruas.

A dieta pode auxiliar no tratamento de outras complicações da cirrose?

Existe uma série de complicações da cirrose que podem ser aliviadas através de uma dieta modificada.

Pessoas com cirrose freqüentemente experimentam um desconfortável acúmulo de líquido no abdome (ascite) ou inchaço dos pés, pernas e dorso (edema). Ambas condições são resultado da hipertensão portal (pressão aumentada nas veias que entram no fígado). Desde que o sódio (sal) estimula o corpo a reter água, os pacientes com retenção de líquidos podem cortar sua ingestão de sódio, evitando comidas tais como sopas e vegetais enlatados, embutidos, laticínios, e temperos tais como maionese e catchup. De fato, a maioria das comidas prontas contém quantidades consideráveis de sódio, ao passo que comidas frescas não contém praticamente sódio algum. O suco de limão é um substituto de paladar agradável para o sal.

Existem outras doenças hepáticas nas quais mudanças específicas na dieta podem ser benéficas?

Boa nutrição e uma modificação na dieta tem um efeito significativo sobre uma série de outras doenças hepáticas. Alguns tipos de enfermidades de fígado, por exemplo, causam uma acumulação de bile no fígado que é chamada de colestase. Isto significa que a bile não pode passar ao intestino delgado para ajudar na digestão de gorduras. Quando isto acontece, a gordura não é absorvida, mas excretada em grandes quantidades nas fezes, o que é facilmente percebido por causa do mau cheiro e coloração pálida das fezes. Esta condição é conhecida como esteatorreia. A perda de calorias gordurosas pode também causar perda de peso.

A substituição de gorduras, tais como triglicérides de cadeia meia (óleo MCT), e óleo de cártamo podem ajudar a aliviar esta condição porque eles são menos dependentes daa bile para absorção intestinal. Eles podem ser usados como outros óleos de cozinha, assar e como tempero de saladas.

Pacientes com esteatorreia podem também ter dificuldade em absorver vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K) . Todavia, vitaminas solúveis em água são absorvidas normalmente. É possível suplementar a dieta com vitaminas lipossolúveis, embora isto deve ser realizado somente sob orientação médica. A ingestão de vitamina A em quantidade maior que a necessária resulta extremamente tóxica para o fígado.

Doença de Wilson, na qual grandes quantidades de cobre podem ser acumuladas no corpo, é outra afecção do fígado onde a dieta pode ser benéfica. Pessoas com a doença de Wilson devem evitar comer chocolate, nozes, mariscos e cogumelos, todos alimentos que contem cobre. O tratamento para remover o excesso de cobre do corpo envolve o uso de remédios prescritos pelo médico.

Hemocromatose é uma doença na qual grandes quantidades de ferro são transportadas do intestino e se acumulam no fígado. Pessoas em esta condição devem evitar injeções de ferro, todo alimento que contenha ferro, são também avisadas a não usar utensílios de ferro na sua cozinha. Alem destas precauções, as pessoas com hemocromatose podem seguir uma dieta normal.

O que é fígado gorduroso? É causado pela ingestão de gorduras em excesso?

Fígado gorduroso não é uma doença, mas um achado patológico. O termo mais apropriado é "infiltração de gordura no fígado". Não é causada pela ingestão excessiva de gorduras.

As causas nutricionais de gordura no fígado incluem: desnutrição, obesidade, falta de proteínas e operação de bypass intestinal para obesidade. A gordura entra no fígado pela dieta e pela gordura armazenada no tecido gorduroso. Sob condições normais, a gordura da dieta é habitualmente metabolizada pelo fígado e outros tecidos. Se o montante excede a quantidade requerida pelo corpo, esse excesso é armazenado no tecido gorduroso. Se o tecido gorduroso é causado por diabete, a insulina tratará o problema. A gordura no fígado resultante de nutrição deficiente deve ser tratada com uma dieta bem equilibrada de carboidratos, proteínas e gorduras, segundo especificação médica.

A gordura no fígado pode também ser causada por certos compostos químicos, e por distúrbios endócrinos. Em estes casos, o tratamento deve ser diretamente ligado à causa.

Duas maneiras de evitar gordura no fígado:

> Diminuir a ingestão de álcool (o álcool pode diminuir a atividade do metabolismo e secreção de gordura, levanto a condição de fígado gorduroso);

> Vigiar a dieta (desnutrição e dieta pobre em proteínas podem resultar no acúmulo de gordura no fígado).

A maioria dos casos de acúmulo de gordura no fígado se deve a obesidade. A redução gradual de peso no decorrer do tempo, reduzirá o aumento de tamanho do fígado devido ao acúmulo de gordura e outras anormalidades associadas.

O que há mais adiante?

A relação entre nutrição e fígado se encontra sob investigação. Até que extensão boa nutrição e dieta adequada podem controlar ou talvez até evitar doenças hepáticas, é somente uma conjectura no presente. Maiores pesquisas em esta área poderão provar o benefício, e estão sendo mantidas pela Fundação Americana do Fígado.

A Fundação Americana do Fígado é uma instituição nacional voluntária na área da saúde, dedicada a achar as causas e curas para doenças hepáticas. Previamente à sua formação, não havia nenhuma organização focada em fígado e doenças hepáticas em bases nacionais. Na década passada foram realizados relevantes avanços. Todavia, doenças crônicas do fígado e cirrose são ainda a 4ª causa de morte para americanos na idade de 25 a 44 anos.

Aumento de pesquisas e educação preventiva podem reduzir o sofrimento e o peso econômico imposto por estas doenças.

A Fundação Americana do Fígado empenha-se em:

> Aumentar os esforços de pesquisa para achar tratamentos efetivos e cura para mais de cem doenças do fígado.

> Informar os médicos sobre novos tratamentos e métodos diagnósticos.

> Promover educação preventiva sobre o abuso de substâncias, hepatite, e uso de vacinas.

> Proporcionar uma rede de organizações locais e grupos de apoio para pacientes com doença hepática e suas famílias.

---------------------------


Dieta

Tudo Sobre Emagrecer Emagrecedor.info