Chá e Chás

------------------------

Chá de losna receita.

Chá de losna Continuando as receitas para curar gastrites, vamos hoje com ao Chá de losna a base de losna, ou chá de absinto (a planta é conhecida pelos dois nomes). Além deste beneficio, Chá de losna em pequenas quantidades, a erva auxilia ainda males no fígado, favorece a menstruação e tem ação vermífuga.


Você vai precisar para fazer Chá de losna:

Uma xícara de chá de água
Um colher de sobremesa de folhas de losna picadas.
Modo de Preparo Chá de losna:

Depois de ferver a água adicione a losna e deixe abafado até amornar.

Posologia do Chá de losna.

Tome de meia xícara meia hora antes do almoço e outra antes do jantar.

Cuidados com Chá de losna.

Não tomar Chá de losna em excesso. Pode-se causar paralisias ou sufocação.

Outros efeitos do Chá de losna.

O Chá de losna pode ser muito útil para facilitar a digestão e atuar como tônico e anti séptico de uso externo.

------------------------

Para que serve o chá de losna?.

A artemisia absinthium ou Chá de losna é indicada para as infecções do aparelho digestivo, pulmonares e anemia. É vermífuga, combatendo a tênia. Não deve ser tomada por muito tempo!

Nome: Chá de losna, erva-dos-vermes.

Chá de losna apresenta folhas prateadas, flores amarelas com sabor amargo. O Chá de losna deve ser tomado moderadamente.

Indicação Chá de losna: afecções do estômago, dos intestinos e dos pulmões. É conhecida também como erva-dos-vermes, pois ela é vermífuga, tonica e purifica o sangue. Empregada nos casos do mal da gota, dores do peito e febres interminentes. Consumir losna com alho combate a tênia.

Uso do Chá de losna: colher logo após a saída do orvalho. Com uma pequena parte em infusão fazer um copo de Chá de losna. Tomar oChá de losna em goles durante o dia, 3 copos por semana.
-------------------------

Chá de losna cura natural.

É das verdes e sedosas folhas do Chá de losna que se extrai o óleo volátil que serve de base ao licor de absinto (bebida proibida no Brasil e em outros países por causa de suas características tóxicas). Mas esse licor, que alegrou a vida de Toulouse-Lautrec e outros pintores da Belle Époque, é conseguido através de um complicado processo químico.
Mas fácil e saudável é esquecer o Chá de losna a complicação e usar a amarga e eficaz losna na forma de simples Chá de losna e inofensiva tintura. Usada assim, ela acalma os nervos, protege o estômago e faz o fígado, funcionar melhor.
Cientificamente, o Chá de losna é chamada de Artemisia absinthium, mas esse sonoro e complicado nome não atrapalha a popularidade do Chá de losna.
Conhecida e apreciada por suas qualidades terapêuticas, a erva é tida como a grande protetora do aparelho digestivo.

Usada em tintura ou Chá de losna, ela corrige a falta de apetite, protege os nervos, mantém o fígado funcionando bem e livra o estômago do excesso de gases causado pela digestão difícil.
Para preparar a tintura, pegue 40 g de folhas e flores de losna, 40 ml de aguardente e 11 ml de vinho branco seco. Macere as folhas e as flores na aguardente e deixe em repouso por 5 dias.
Depois junte o vinho e deixe em repouso por mais 5 dias, filtre o líquido em papel especial e guarde numa garrafa bem arrolhada. Para a falta de apetite, tome um cálice antes das principais refeições. Para a má digestão, a tintura deve ser tomada após as refeições.

Apesar do sabor amargo, muita gente tem o hábito de mastigar folhas verdes de losna. De fato, o sumo das folhas tem um efeito tônico sobre todo o organismo, revigorando o aparelho digestivo.
O chá feito com galhos floridos de losna também tonifica o estômago, normaliza o funcionamento do intestino e é um bom remédio para verminose, se tomado em jejum. Ingerido à noite, funciona muito bem como calmante.

-------------------------

Conheça as propriedades e aprenda a preparar o chá de losna.

O Chá de losna (Artemisia Absinthium) é uma erva medicinal que, segundo registros, deve ser usada há milhares de anos. Muito conhecida por suas propriedades medicinais, a losna também é usada na fabricação da bebida alcoólica absinto. Na Grécia antiga, era usada em homenagem à deusa Ártemis, que era a deusa da fecundidade e da caça, daí derivou seu nome científico.
Alguns nomes comuns como a planta do Chá de losna também é conhecida: Absinto; absíntio; Absinto Romano, absinto-comum, absinto-grande, absinto-maior, aluína, alvina, amargosa, artemísia, absíntio, absíntio-comum, acinto, acintro.
Quando usada de maneira correta, sem excessos, a losna aumenta a secreção biliar e melhora o funcionamento do fígado, sua infusão tem uma característica bem marcante: o sabor amargo!
Contam que o Chá de losna, por essa característica, foi mencionada em um provérbio do sábio rei Salomão: A infidelidade, ainda que possa ser excitante e doce no seu início, costuma ter um fim amargo como a losna!"
Essa planta também tem outras propriedades como

trata anemias;
ativa a circulação sanguínea;
melhora a azia;
as dispepsias;
alivia cólicas intestinais;
limpa e normaliza o funcionamento do estômago;
trata rins, bexiga e pulmões;
menstruações difíceis e dolorosas;
regulariza o ciclo menstrual;
nevralgias;
mau hálito;
prisão de ventre;
vômitos;
vermífuga;
febrífuga;
tônica, estimulante;
repele piolhos, etc.
Se a infusão for bebida meia hora antes das refeições, age como estimulante do apetite e da digestão, sendo útil para tratamento de problemas relacionados à anorexia, por exemplo.

---------------------------

Losna ou Absinto medicinal ou tóxica?.

Quem já provou um Chá de losna conhece a principal característica desta planta: o sabor amargo. E dizem que essa característica foi até citada num provérbio de Salomão que teria declarado: a infidelidade, ainda que possa ser excitante e doce no seu início, costuma ter um fim amargo como a losna.

Na Grécia Antiga esta planta era dedicada à Ártemis, deusa da fecundidade e da caça. Daí a origem de seu nome científico do Chá de losna. Popularmente, o Chá de losnatambém é conhecida como absinto, erva-do-fel, alenjo, erva-de-santa-margarida, sintro e erva-dos-vermes.

As propriedades do Chá de losna aperitivas (estimulante do apetite), vermífugas e estomacais explicam o uso da planta no preparo do vermute e do licor de absinto, entretanto, vale lembrar que a presença de uma substância tóxica - a tuinona - pode produzir efeitos altamente perigosos.

Em doses elevadas, o Chá de losnae outros preparados a partir desta planta podem provocar tremores, convulsões, tonturas e até delírios. No século XIX, registrou-se vários casos de intoxicações e até mortes provocadas pelo uso de um licor obtido pela maceração do absinto em álcool. Na maior parte das vezes, o licor de absinto era usado como alucinógeno e não com finalidades medicinais.
A fada verde.

O licor de absinto era muito apreciado por famosos poetas e artistas como Van Gogh, Rimbaud, Baudelaire e Toulouse-Lautrec, entre outros. Ao que tudo indica, aquele destilado de ervas cor verde-esmeralda, também chamado de "fada verde", seria o responsável pelo comportamento bizarro de Van Gogh. E, recentemente, pesquisadores da Universidade da Califórnia em Berkeley, nos EUA, identificaram nas substâncias presentes nos destilados preparados com losna ou absinto, propriedades capazes de causar convulsões, alucinações, surtos psicóticos; dependendo da dosagem. Além disso, os estudos demonstraram que o uso crônico pode provocar danos neurológicos permanentes.

A combinação entre a dosagem de álcool e as substâncias presentes nesta planta pode ser perigosa e, por essa razão, a maioria dos especialistas costuma recomendar o uso da losna ou absinto na forma de infusão (no máximo duas xícaras de chá ao dia) e evitar a extração do sumo por maceração.

Planta pertencente à família das Compostas, originária da Europa, a losna (Artemisia absinthium L.) é uma planta herbácea, perene (cultivada muitas vezes como anual), que alcança de 1 a 1,20 m. de altura. Produz folhas recortadas, de coloração verde-acinzentada e flores amarelas, bem miúdas e reunidas em pequenos cachos. Em algumas regiões do Brasil a floração da planta é difícil, principalmente em locais muito quentes ou com sol intenso; por isso, para finalidades medicinais costuma-se utilizar mais as folhas do que as flores.

Também é muito importante lembrar que a losna ou absinto (Artemisia absinthium L.) não deve ser confundida com outra planta muito conhecida: o abrótano (Artemisia abrotanum L.) que apresenta folhas mais finas e sabor agradável.
Cultivo e colheita

A losna se propaga por meio de sementes, por divisão de touceiras ou por estaquia. O solo ideal para o cultivo deve ser argilo-arenoso, fértil e profundo. Para o plantio em vasos ou jardineiras, é essencial garantir uma profundidade de 30 cm, mais ou menos. A planta é muito resistente a doenças, raramente é atacada por insetos, porém, é essencial a retirada de ervas daninhas que podem prejudicar o seu desenvolvimento. Recomenda-se cautela com a aplicação de adubos ou fertilizantes (naturais ou químicos), pois o excesso pode prejudicar o aroma da losna. A adição de composto orgânico em doses controladas favorece o cultivo.

Se a finalidade da colheita for as folhas, deve-se retirá-las aos primeiros sinais da formação dos futuros órgãos de reprodução, para evitar a perda dos princípios ativos. Caso a finalidade seja obter as flores, a colheita deve ser realizada assim que estas começam a se formar, pois a planta permanece florida por cerca de sete dias e, após esse período, as flores se tornam muito sensíveis, desmanchando-se e caindo com facilidade. Para melhor conservação, a losna pode ser armazenada seca: coloque as folhas e flores estendidas em local ventilado, longe da exposição aos raios solares e depois guarde em caixas de madeira, de preferência.

Usos e cuidados

Os componentes responsáveis pelo uso medicinal da losna ou absinto são: um óleo essencial (vermífugo e emenagogo), absintina (responsável pelo sabor amargo), resinas, tanino, ácidos e nitratos. Como planta digestiva e aperitiva, sua ação se dá pelo estímulo à salivação e à produção de sucos gástricos e, por essa mesma razão, não é recomendada para pessoas que apresentam problemas como úlceras e gastrite.

Usada corretamente e sem excessos, a infusão da losna pode aumentar a secreção biliar, favorecendo o funcionamento do fígado e, ingerida meia hora antes da refeição, pode agir como estimulante do apetite e auxiliar da digestão.

Quanto aos cuidados, não é recomendável o uso por mulheres grávidas e crianças. Além disso, a maceração da planta com álcool, segundo alguns estudos já realizados, apresenta graves perigos, podendo provocar dependência, alucinações e convulsões.

Curiosidades: A palavra "vermute" tem tudo a ver com a losna: significa "warmwurz", ou seja, "raiz quente" e é o nome da losna em alemão. Já em grego, a palavra losna significaria "privado de doçura". A medicina popular desaconselha o uso da losna por mulheres em fase de amamentação, pois a planta "torna o leite amargo".

O absinto é famoso desde tempos muito antigos, pelas suas virtudes medicinais, sendo inclusive citado num papiro egípcio que data de 1.600 a.C.
Para saber mais: Plantas Aromáticas e Medicinais, de Igor Francisco Von Hertwig. Ícone Editora.

------------------------------

Chá de Losna.

O chá de losna apresenta muitos benefícios. Limpa e regulariza o funcionamento do estômago, fígado, rins, bexiga e pulmões. Se optar pelo chá de losna adicione 20g de folhas por cada litro de água fervida e tome uma chávena de chá antes de cada refeição principal.
O chá de losna apresenta diversas propriedades, podendo destacar-se as seguintes: abortiva, afrodisíaca, aperiente, digestiva, estimulante, febrífuga, fortificante, tônica, vermífuga. É indicada sobretudo para casos de anemia, anorexia, aumento de apetite, ativar a circulação, aliviar a azia, cólicas intestinais, cólicas menstruais, gases, indigestão. Apresenta o poder de atuar no estômago, de estimular a secreção gástrica, biliares, pancreáticas e fígado. Combate também os vermes e é um ótimo repelente de piolhos.
Esta verdadeira pérola estimula e melhora o processo digestivo, sendo utilizada quando há deficiência na qualidade/quantidade de suco gástrico e o facto de ser amarga estimula as secreções.
Em forma de fármaco em doses baixas estimula o apetite e em doses altas funciona como um psicostimulante e vermífugo.
O absinto, como também é chamada, é recomendado como um tónico do aparelho digestivo e tudo isso deve-se à substância que contém designada por absintina, com sabor amargo, mas com efeito benéfico na atonia digestiva e constipação.
Se a sua finalidade for a colheita das folhas, deve retira-las logo que apareçam os primeiros sinais de formação de órgãos reprodutores, evitando assim a perda dos seus ativos. Se pretender a colheita de flores deve esperar e realizar a colheita a seguir ao aparecimento das mesmas.
Em termos de conservação a losna deve ser conservada seca e para isso deve colocar as folhas e flores estendidas em local ventilado, afastadas da luz solar, devendo depois ser conservada em caixas de madeira.
------------------------

Artemisia absinthium L chá de losna.

Nome científico: Artemisia absinthium L.

Família: Asteraceae.

Sinônimos botânicos: não encontrados.

Outros nomes populares do chá de losna: absinto, absinto-comum, absinto-grande, absinto-maior, absíntio, absíntio-comum, acinto, acintro, aluína, alvina, amargosa, artemísia, citronela-maior, erva-dos-bichos, erva-dos-cem-gostos, erva-dos-velhos, erva-santa, erva-dos-vermes, flor-de-diana, gotas-amargas, grande-absíntio, grande-absinto, losma, losna-branca, losna-de-dioscórides, losna-maior, sintro, vermute; vermut (alemão); ajenjo (espanhol); absinto (esperanto); absinthe (francês); wormwood (inglês); assènzio (italiano); absíntio (português de Portugal).

Constituintes químicos do chá de losna: ácidos orgânicos (málico, succícnico, tânico, palmítico, nicotínico, tuiônico, isovaleriânico); fitosterol, quebrachital, substâncias carotenóides, flavonóides; lactonas sesquirtepênicas (anabsintina, absintina); óleo essencial (tuiona (32,4% a 34,6%), tuiol, camazuleno, felandreno e borneol (30%)); princípios amargos: absintina (mistura de artamarina, artamarinina e artamaridinina), anabsintina, artabsina e santonina; proazuleno, carotenos, pectina e mucilagens; resina, ceras, vitamina B6 e C;

Propriedades medicinais do chá de losna: abortiva, afrodisíaca, amargo, antidiabética, antidiarréica, antidisentérica, antiemética, antiespasmódico, antifebril, antigripal, anti-helmíntica, anti-hidrópica, anti-histérica, anti-séptica, aperiente, antipirética, colagogo, digestiva, emenagoga, estimulante, estomacal, eupéptica, febrífuga, fortificante, hepática, psicoestimulante, repelente de piolho, tônica, vermífuga.

Indicaçõesdo do chá de losna: afecção uterina, anemia, anorexia, ativar a circulação, atonia digestiva, atonia uterina, azia, bexiga, catarros, circulação, cólicas intestinais, cólicas menstruais, convalescença, coriza, diabete, diarréia, dismenorréia, distúrbios digestivos e hepáticos, dispepsias, enfermidades nervosas, envenenamento, escrófulas, espasmo histérico, estimular o apetite, estômago (perturbações gástricas diversas); estimular a secreção dos sucos gástricos, biliares e pancreáticos; febre, flores brancas, fígado, gases, gripe, hidropisia, histerismo, inapetências, indigestão; limpar e regularizar o funcionamento do estômago, fígado, rins, bexiga e pulmões; nevralgias, mau hálito, menstruação difícil e dolorosa, meteorismo, nervosismo, obesidade, prisão de ventre, proteger lãs e cobertores, regularizar o fluxo menstrual, reumatismo, rins, sinusite, tísica, tuberculose, ventosidades, vermes (lombriga e oxiúro, ascaris e amebas), vômito.

Parte utilizada do chá de losna: flores, folhas.

Contra-indicações/cuidados do chá de losna: O suco ou extrato não devem ser usados, pois são tóxicos. A infusão elimina parte da toxidez. Não deve ser usado por quem estiver fazendo tratamento radioterápico, gestantes, lactantes, indivíduos de temperamento bilioso ou sangüíneo, nas irritações gástricas e intestinais e nas propensões à congestão cerebral. O óleo essencial, sobretudo a tujona, é tóxico. As bebidas alcoólicas à base da planta são consideradas nocivas à saúde. Usar somente na dose recomendada e durante o tempo de tratamento especificado.

Em altas doses deve ser evitado devido aos efeitos tóxicos que pode desenvolver.
O consumo prolongado de bebidas à base de absinto, provoca habituação que se manifesta por cãibras, perdas de conhecimento e mesmo perturbações nervosas irreparáveis e destruição dos glóbulos vermelhos. Doses excessivas podem causar alucinações, aborto, convulsões, pertubações da consciência (absintismo: degeneração irreversível do sistema nervoso central). Torna amargo o leite das mulheres que amamentam.

Modo de usar o chá de losna:
- infusão de uma ou duas colheres de café de caules cortados por chávena de água, três vezes por dia;
- infusão de 20 g de folhas ou flores em 1 litro de água fervente por 10 minutos. Tomar 1 colher de sopa de hora em hora ou tomar 2 xícaras ao dia, antes ou após as refeições principais;
- infusão de 5 a 15 g de folhas ou flores por litro de água. Tomar uma xícara antes das refeições principais: estimulante do apetite;
- decocção para gargarejos e compressas sobre as contusões;
- tintura: misturar 2 xícaras das de café de álcool de cereais com 1 xícara de água e 1 punhado da erva picada. Deixar em maceração por 7 dias, coar e guardar em vidro escuro ou protegido por papel alumínio. Tomar 1 colher das de café diluída emágua, por dia ou 20 a 40 gotas ou 1 a 4 ml, 2 a 3 vezes ao dia antes ou após as refeições (efeito digestivo e para transtornos biliares). Também pode ser aplicada topicamente em articulações inflamadas;
- vinho: macerar 20 g de folhas ou flores secas em 1 litro de vinho tinto e 2 cálices de aguardente, por 10 dias. Filtrar. Tomar 1 cálice após as refeições;
- pó: um grama em uma xícara de água, três vezes por dia, antes das refeições;
- extrato seco: 200 m g /dose, 2 a 3 vezes ao dia, antes das refeições;
- xarope de um punhado de folhas e flores picadas em 1 xícara das de cafezinho de água fervente. Abafar, coar, adicionar 1 xícara de mel e homogeneizar. Adultos: uma colher das de sopa 3 vezes ao dia; crianças: 1 colher das de chá 3 vezes ao dia;
- cataplasma: aplicar a folha quente sobre locais doloridos do ventre;
- massagem com folhas: friccioná-las sobre as partes afetadas (anti-reumático);
- vermífugo para cães e gatos: triturar um punhado de flores e folhas. Adicionar à ração do animal 1 colher das de chá para gatos ou 2 colheres das de chá para cães de porte médio.
------------------------------


Chá e Chás

Tudo Sobre Emagrecer Emagrecedor.info