Chá e Chás

------------------------

Chá de insulina.

O Chá de Folhas de Insulina e o Diabetes

A Insulina é uma das substâncias mais importantes dentro da Endocrinologia e, ainda hoje, tentamos entender todas as suas funções no corpo humano. A cada dia, são publicados artigos demonstrando novos mecanismos para explicar sua ação, novos efeitos em diferentes órgãos do corpo humano e estudos sobre seu uso para o tratamento de diversos tipos de diabetes.

Como poderíamos então encontrar esta substância tão complexa em uma simples folha de planta? Mais do que isso, será que esta Folha de Insulina realmente apresenta a mesma insulina que encontramos no corpo humano?
Para podermos responder estas perguntas, preciso primeiro que todos entendam bem o que é a Insulina.

A Insulina é o hormônio produzido pelo pâncreas humano que é responsável pela regulação dos níveis de glicose do corpo. De uma forma geral, ela ajuda a transportar a glicose do sangue para dentro das células do corpo, onde a glicose é utilizada como fonte de energia.

Em situações onde existe um aumento de glicose no sangue (como o que acontece logo após comemos), existe também um aumento da insulina. Quando estamos em jejum, os níveis de insulina ficam mais baixos para prevenir a queda dos níveis de glicose no sangue.

Dentre os inúmeros medicamentos utilizados para tratar o Diabetes Mellitus tipo 2, alguns estimulam a liberação de insulina pelo pâncreas, levando a uma queda dos níveis de glicose. Em pacientes com Diabetes tipo1, por outro lado, existe uma destruição das células que produzem insulina e o paciente precisa fazer uso da insulina injetável.
A descoberta da insulina como forma de tratamento do Diabetes é uma das grandes descobertas da medicina do Século 20. Ela foi descoberta em 1922 em Toronto (Canadá) por um grupo de pesquisadores.

Nos últimos 70 anos, ela vem sendo constantemente aperfeiçoada, com melhora na sua qualidade, nos dispositivos de utilização e até em sua eficácia. Um dos grandes desafios, entretanto, é referente a forma de utilização da insulina. Embora amplamente pesquisado, a insulina ainda precisa ser utilizada sob a forma injetável, através de injeções subcutâneas.

Ainda não foi possível uma insulina que pudesse ser ingerida por via oral (comprimido) e a insulina inalável ainda apresenta limitações, principalmente relacionadas a segurança. Se temos tanta dificuldade assim com a insulina, qual seria o efeito do Chá de Folhas de Insulina sobre os níveis de glicose? Será que estamos falando da mesma insulina?
O nome científico da Insulina Vegetal é Cissus sicyoides L, uma trepadeira também conhecida como anil trepador, uva brava ou cipó-pucá.

O nome Insulina Vegetal veio exatamente devido ao seu grande uso pela população para tratamento do Diabetes. As folhas também são empregadas para o tratamento de reumatismo, abscessos e como ativadora da circulação sanguínea.

Desta forma, esclarecemos um primeiro conceito importante: a Insulina Vegetal não tem qualquer relação com a Insulina produzida pelas células pancreáticas; esse nome foi dado pela própria população devido ao seu uso disseminado no tratamento do Diabetes.
Agora precisamos determinar se este conhecimento popular é respaldado por conhecimento científico. Isto é, precisamos ver se realmente existem estudos avaliando os efeitos desta planta nos níveis de glicose. E é interessante que, não só estes estudos existem como, em sua grande maioria, foram publicados por grupos de pesquisa do Brasil.
Para começarmos nossa discussão, vamos avaliar primeiro os estudos em modelos animais.

O primeiro estudo que encontrei foi publicado em 2001 pelo pesquisador Flávio Beltrame da Universidade Estadual de Maringá. Neste estudo, a utilização de um extrato de Cissus sicyoides L não promoveu melhoras dos níveis de glicose de ratos com diabetes induzido por medicação.

Pelo contrário, ele até mesmo levou a uma piora da glicemia. Repetindo as palavras dos autores os dados, ao contrário do conhecimento popular, não revelaram propriedades antidiabéticas da Cissus sicyoides L. Existem, entretanto, estudos em animais que apontam para o outro lado.

O segundo estudo foi publicado em 2003 por um grupo de pesquisadores de Araraquara. Os autores demonstraram que, em ratos com diabetes, o extrato da Insulina Vegetal levou a uma redução dos níveis da glicose. Os mesmos resultados foram encontrados em um estudo de 2004.

A pesquisadora Glauce Viana, do Ceará, demonstrou que a utilização de um extrato de Cissus sicyoides L por 07 dias em ratos com diabetes levou a uma diminuição em torno de 25% nos níveis de glicose e também nos níveis de triglicérides.

Por outro lado, houve também um pequeno aumento nos níveis das enzimas hepáticas. Estes benefícios sobre os níveis de glicose também foram demonstrados por um grupo de pesquisadores do Japão.

Estes efeitos deletérios sobre as enzimas hepáticas não puderam ser explicado pelos autores. Parece, então, que temos algumas evidências bem interessantes em modelos animais de que o Extrato da Insulina Vegetal pode realmente levar a uma redução dos níveis de glicose. Mas e quanto a estudos em humanos? Existem estes estudos? O que eles mostram?

Os estudos em humanos são bem mais escassos que os estudos em animais. O único estudo que encontrei foi realizado em 2008 por uma equipe de pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba. Como todos podem ver, isso tudo é muito recente. Os autores trataram 14 indivíduos com Intolerância a Glicose (o chamado Pré-Diabetes) e 12 indivíduos com diabetes com o Chá da Insulina Vegetal por um período de 07 dias. Os autores observaram que, em pacientes com pré-diabetes, houve uma pequena melhora da glicose 02 horas após a ingestão de glicose.

Nos pacientes com Diabetes, nenhum efeito sobre a glicemia ou sobre os níveis de insulina foram observados. A principal conclusão dos autores é que são necessários mais estudos para que os reais efeitos da Insulina Vegetal no tratamento do diabetes possam ser realmente conhecidos. Vale a pena observar que estudo avaliou apenas pacientes por uma semana. Não consegui encontrar nenhum outro artigo além deste. Uma pena!!
Em resumo, ainda existe muito que aprender sobre a Cissus sicyoides L, o famoso Chá de Insulina. O que sabemos hoje é que, embora ele tenha este nome, não tem nada a ver com a insulina que o corpo produz ou que tomamos para o tratamento do diabetes.

Parece que esta folha pode realmente ter efeitos benéficos sobre a glicose, mas ainda não conseguimos realmente demonstrar este efeito em humanos. Além disso, também não temos um possível mecanismo para estes efeitos e nem mesmo conhecimento de todos os efeitos colaterais.

O que posso dizer aqui é que ele não deve ser utilizado para o tratamento do DM até que mais pesquisas sejam feitas, demonstrando tanto sua eficácia quanto seus possíveis efeitos colaterais.

------------------------

Insulina vegetal.

Insulina vegetal

Nome científico: Cissus sicyoides L.

Família: Vitaceae.

Sinônimos botânicos: Cissus brevipes C.V. Morton & Standl., Cissus canescens Lam., Cissus compressicaulis Ruiz & Pav., Cissus elliptica Schltdl. & Cham., Cissus obtusata Benth., Cissus umbrosa Kunth, Vitis sicyoides (L.) Morales.

Nomes aceitos: Cissus verticillata (L.) Nicolson & C.E. Jarvis, Cissus verticillata subsp. verticillata.

Outros nomes populares: mãe-boa, cipó-pucá, cipó-puci, achite, anil-trepador, caavurana-de-cunhan, cipó-da-china, cortina-japonesa, diabetil, proeza-japonesa, tinta-dos-gentios, uva-brava, uva-do-mato.

Constituintes químicos: esteróis, quinonas e compostos fenólicos nas folhas e antocianinas nos frutos; aminoácidos, alcalóides, saponinas, taninos, açúcares, esteróis, lactonas sesquiterpênicas e luteolina; flavonóides: cianidina, cianidina-3-arabinosídeo, cianidina-3-rhamnosil-arabinosídeo, delfinidina, delfinidina-3-O-b-D-glucosídeo, delfinidina 3-O-b-D-glucosídeo e delfinidina-3-rhamnosídeo; sais de magnésio, manganês, silício, cálcio, fósforo e potássio.
Propriedades medicinais: hipotensora, sudorífica, anti-reumático, antidiabética, antiinflamatória, estomáquica e anti-hemorroidária.

Indicações: abscesso, beribéri, derrame, diabete, coração (taquicardia, hidropisia, abaixar a pressão arterial), hidropisia, reumatismo, taquicardia, preventiva de derrame, inflamação, reumatismo, estômago, hemorróida.

Parte utilizada: folhas.

Contra-indicações/cuidados: não encontrados na literatura consultada.

Efeitos colaterais: não encontrados na literatura consultada.

Modo de usar:

Uso interno:

Anti-reumático, tratamento do beribéri:
a) Infuso e Decocto a 2%: de 50 a 200cc por dia de 1 a 4cc por dia.
b) Tintura: de 5 a 20cc por dia.
c) Xarope: de 20 a 80cc por dia.
d) infusão: 1 folha picada em uma xícara de chá e derramar água fervente, tampar por 10 minutos. Tomar 1 a 3 vezes ao dia.

Chá contra diabete: colocar 2 colheres da folha seca da insulina (planta), 3 folhas grandes frescas, em um litro e meio de água fervente. Abafar e deixar descansar por 20 minutos. Coar e tomar de 3 a 4 vezes ao dia.

Uso externo:
- reumatismo e furúnculos: folhas amassadas.
- abscessos e gânglios inflamados: folhas aquecidas.
-------------------------

CHÁ DA INSULINA Modo de preparar.

Modo de preparar
Preparar o chá utilizando uma folha média para uma xícara das de chá de água.
Picar a folha.
Colocar para ferver por cinco minutos.
Abafar.
Deixar amornar até chegar à temperatura apropriada para beber.
Coar.
Quando e como usar
Indicação: Diabetes de adultos.
Modo de usar: Tomar duas xícaras de chá ao dia. Repetii
o tratamento e fazer o controle da glicose.

Diabetes

Esta é uma doença causada pela ausência ou deficiência da produção de insulina que é um hormônio produzido pelo pâncreas, responsável pela absorção da glicose do sangue que vai alimentar as células. Quando a insulina tem produção diminuída ou estaguinada, provoca a elevação da glicose no sangue, cuja taxa normal, em jejum é de 70 a 110 mg por 100 ml de sangue.

SINTOMAS E COMO ADQUIRE-SE A pessoa começa a apresentar sede intensa, urinas freqüentes e em grandes quantidades, fome exagerada, perda de peso ou obesidade, sistema imunológico fraco, desânimo, cansaço, coceira no corpo, visão turva, câimbras, impotência sexual, cicatrização difícil etc. Muitas vezes, a doença não apresenta nenhum sintoma, podendo-se passar anos sem a pessoa descobrir que tem diabetes.

É adquirido por vários fatores como hereditariedade, infecção viral quando os anticorpos produzidos para combater a infecção destroem o pâncreas atingindo as células que produzem a insulina, mas a maioria contrai por causas desconhecidas e para nós naturopatas seriam provenientes de maus hábitos alimentares e estados emocionais negativos.

Inúmeras pessoas têm sido beneficiadas com o tratamento natural, algumas delas conseguindo reverter o quadro, obtendo cura total. Mas, porque outras não? Esta diferença se dá não só porque cada corpo é um corpo, mas, principalmente, porque cada um sente e pensa de maneira diferente.

QUERER OU NÃO QUERER… Uma senhora com cerca 40 anos, bonita, empresária bem sucedida, inteligente, com tudo para ter o emocional equilibrado, está com princípio de diabetes. Ela gosta muito dos tratamentos naturais, pede informações, escuta com atenção, parte dela quer tratar-se desta maneira, porém uma outra parte impede que vá em frente, como se seu inconsciente desejasse esta doença.

Querer ou não querer, só ela poderá decidir, porém vou dar algumas possibilidades do porquê desse choque entre o consciente e inconsciente: - Apego à situação: Ficar doente foi a maneira que encontrou de dizer para as pessoas mais próximas que, está sofrendo, não agüenta mais viver desta maneira, pede socorro e ninguém escuta.

- Agora, ninguém vai irritá-la, todos vão fazer o que ela quer porque o médico já disse que parte desta doença é emocional. - Quer ser uma pessoa comum, comer de tudo, fazer de tudo que a parafernália da vida oferece, porém a alma quer evoluir, cumprir missão e está dizendo: é hora de mudar de hábitos para sutilizar a matéria e crescer em espírito. Muitas vezes, ouvi desta pessoa o quanto gostaria que sua vida fosse mais natural e relaxada e que o mundo fosse melhor.

Mas não se deu conta que para que isso aconteça é necessário que aja uma consciência individual, depois coletiva. Não será um presente que sua alma está lhe dando: a diabetes, já que, conseguindo mudar-se, terá possibilidades de mudar muitas pessoas com o seu exemplo, dentro da sua própria empresa, com seus empregados e clientes que são muitos e têm uma relação muito direta com ela?

COMO MUDAR PARA LIVRAR -SE DO DIABETES Observar o corpo. Logo vai perceber que alguma coisa errada está com seu intestino, seja ressecamento, prisão de ventre, gases, enfim o diabetes apesar de ser deficiência do pâncreas é também mau funcionamento do intestino. Então a primeira coisa a fazer é cuidar dele que deve funcionar de 2 a 3 vezes ao dia, se isto não está acontecendo é preciso estimular mudando a alimentação. (vide Saúde Integral número 8, como fazer um cardápio). É necessário retirar todos os tipos de carnes vermelhas ou brancas.

O açúcar nem se fala, porém , em alguns casos pode ser liberado o mel de abelhas. Os dietéticos são nocivos para a saúde, a maioria deles já foram denunciados como cancerígenos. Quanto a stévia, só é natural se estiver em folhas frescas ou secas, que são verdes e não brancas como se apresenta o pó vendido no mercado, portanto não deve ser usado.

O alimento ideal para o ser humano é aquele que saiu da feira como verduras, legumes, frutas e não o industrializado. Há muitos alimentos que contém açúcar como o amido (pão, arroz, batata) as frutas em geral, podem ser usados desde quando sejam frescas, nunca industrializadas nem congeladas.

Os amidos integrais, como as farinhas (trigo, aveia etc) e o arroz nunca devem ser refinados. Por tanto comer arroz integral, pão integral, não darão problemas para o diabético se devidamente orientado. Sucos de folhas verdes são recomendados, principalmente se passado na centrifuga em vez do liqüidificador. Beber bastante água durante o dia, longe das refeições.

-------------------------

CHÁ DA INSULINA FITOTERAPIA.

FITOTERAPIA Existe uma folha chamada pata – de – vaca, excelente para diabetes, porém o chá, não trará resultados.

Esta folha deve ser macerada no álcool de cereal, transformada em tintura porque só desta maneira é extraído seu principio ativo. Outros chás: insulina, pau de ferro, graviola e cana do brejo. INSISTÊNCIA AO PASSADO Aí está o sentimento negativo do diabético. Ele fica só no passado.

Se você é diabético ou conhece alguém que é, observe se não há tendência de ficar recordando, querendo voltar para ser feliz ou lastimando o passado. Existe um floral de Bach que pode curar este sintoma é o Honeysucle.

Esta é a tendência geral, pode haver exceções, tem um ditado que diz que: na medicina e no amor, nem nunca nem sempre. OUTROS PROCEDIMENTOS RECOMENDADOS - Limpezas intestinais periódicas (enemas) - Barro ao ventre todos os dias, durante o mínimo de 2 horas - Faixa úmida nas refeições - Frotações várias vezes por dia, sendo a 1a. ao despertar - Tintura de pata – de – vaca: 7 gotas 4 vezes ao dia - Usar chá de insulina, pau de ferro, graviola ou cana do brejo: 3 copos diários, variando a cada 30 dias - Exercícios físicos (caminhada, bicicleta, natação, etc.)

- Suco desintoxicante: Passar na centrifuga: - 3 tipos de folhas diferentes (couve, alface, dente de leão, rúcula, salsão, agrião, alho porro, hortelã, chicória, folhas de cenoura, folhas de beterraba, almeirão, etc.) - 2 raízes ( cenoura, bardana, nabo, rabanete, inhame, beterraba, etc.)

- 1 maçã Beber imediatamente 2 a 3 vezes ao dia . Este suco ajuda a desintoxicar todo o organismo, é antioxidante, combatendo os radicais livres, maior inimigo da medicina ortomolecular.

Observação: Não ingerir mais que 1/3 de um copo de uma só vez, porque é bastante concentrado e não deve ser diluído na água.

Fique atento: - Se houver diabéticos na família - Com crianças que nascem com mais de 4 quilos e meio - A hipoglicemia, que é a falta de açúcar no sangue, porque pode ser o princípio do diabetes, que é o excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia).

- Se seu intestino não funciona todos os dias DICAS: - Não impressione com as conseqüências que o diabetes pode ter porque se você fizer um tratamento natural radical o quadro pode reverter e curar, não somente controlar

- Embora tenham dois tipos de diabetes, a naturopatia trata de uma maneira só. - Estabeleça horários para se alimentar e evite comer em demasia, saia da mesa com um pouco de fome para dar espaço a seu estômago retornar à posição normal (os alimentos pesados deixa-o dilatado) e nunca coma depois do sol se por.

- Ao contrário do que muitos pensam, a primeira e última refeição devem ser mais leves. - Experimente fazer uma dieta de frutas durante 3 dias todo mês. - Caminhar todos os dias durante o mínimo de 30 minutos pode evitar.

- O stress pode gerar esta ou outras doenças. - Procure viver em harmonia no trabalho e com os familiares. - Não use sapatos apertados. - Mude sua alimentação sem achar que é sacrifício, como todo hábito logo estará adaptado e agora a comer corretamente.

Uma dieta com fritura ou muito sal, por exemplo, não faz bem para ninguém. Combine os alimentos, as cores e os sabores e COMA COM PRAZER! Bibliografia: Estudos com Dr. Áureo A. Caribe (médico clínico) Curso Dr. Fernando Hoisel (médico clínico) Boletins informativos sobre Diabetes

---------------------------

Chá e Chás

Tudo Sobre Emagrecer Emagrecedor.info