Chá de espinheira santa

Chá de espinheira santa um planta medicinal conhecida há muito tempo pelos Índios da América do Sul.

Tem este nome devido à aparência de suas folhas e por ser considerado um santo remédio em linguagem popular.

Cientificamente, a espinheira santa está comprovada sua eficácia no combate a problemas gastrintestinais como a gastrite, úlcera e gases. Geralmente utilizada na forma de infusão ou cápsulas.

Nomes do Chá de espinheira santa
Nomes em português: Espinheira-Santa, Salvavidas; coro-milho-do-campo; Espinho de Deus; Maiteno; Sombra-de-Touro; Congorça; Cancerosa.
Nome latim: Maytenus ilicifolia.
Nom inglês: Espinheira-Santa
Nome francês: Espinheira-Santa
Nome alemã: -
Nome italian: -
Nome espanhol: Cancorosa

Família do Celastraceae

Componentes do Chá de espinheira santa.
Terpenos (maitenina); triterpenos; taninos; flavonóides; mucilagens; antocianinas; açúcares livres; traços de sais minerais.

Partes utilizadas do Chá de espinheira santa.

Efeitos do Chá de espinheira santa

Chá de espinheira santa Tonificante estomacal;
Antiulcerôgenico (Tem potente efeito anti-úlcera gástrica devido à ação dos taninos). Tem poder cicatrizante de lesões ulcerosas do estômago devido à diminuição da acidez estomacal pelo aumento da secreção gástrica;

Tem ação anti-séptica, devido à expressiva quantidade de taninos , atuando rapidamente na paralisação das fermentações gastrintestinais;
Analgésica nas gastralgias (dor de estômago): Acalma rapidamente as dores estimulando e corrigindo a função desviada;
Levemente laxativo, devido à presença de mucilagens;
Levemente carminativa (auxilia na eliminação de gases);
Levemente diurético, devido à presença de triterpenos;
- Alguns estudos iniciais demonstram que tem o poder de inibir alguns tipos de câncer (Fox,1991; Ohsaki et al.,2004);
- Chá de espinheira santa Demonstrou certa eficiência no combate a Helicobacter Pylori, bactéria que causa úlcera gástrica, podendo levar a câncer gástrico.(Cogo, et.al.2008).
Indicações do Chá de espinheira santa.
Acidez do estômago, azia, gastrites causadas ou não pela bactéria Helicobacter Pylori, gastralgias (dores no estômago), úlcera gástrica, enterites (inflamação do intestino), dispepsia (perturbações do trato gastrintestinal), mau hálito (devido a problemas estomacais), fermentações gastrintestinais, flatulência (gases).

Efeitos secundários do Chá de espinheira santa.
Pode-se notar boca-seca e náusea que desaparecem com a descontinuidade do uso.

Contra-indicações
- Gestação e tratamento de infertilidade feminina: É contra-indicado em casos de gravidez ou tratamento da infertilidade feminina por ter um efeito abortivo descrito em pesquisas científicas (Montanari, T.; Bevilacqua, E.; Contraception 2002);

- Chá de espinheira santa Lactação: É contra-indicado o uso durante o período de amamentação pois a espinheira-santa leva a uma redução do leite materno (Santos C, et al. Plantas medicinais 1988);

Chá de espinheira santa. Um espinho que cura

A Chá de espinheira santa é conhecida também como cancerosa, cancorosa, cancorosa-de-sete-espinhos, cancrosa, cangorça, coromilho-do-campo, erva-cancerosa, espinho-de-deus, espinheira-divina, limãozinho, maiteno, marteno, pau-josé, salva-vidas, sombra-de-touro.

É uma espécie amplamente utilizada na medicina popular, conhecida pelos índios há muitos anos, ganhou esses nomes justamente pela aparência de suas folhas, que apresentam espinhos nas bordas e por ser um santo remédio para tratar vários problemas.

Na medicina popular o Chá de espinheira santa, das cascas ou das raízes da espinheira-santa é famoso no combate à úlcera e outros problemas estomacais. Além de indicado contra vários males do aparelho digestivo, era muito usado no passado pelos índios brasileiros com outra finalidade: eles usavam suas folhas no combate a tumores (esse uso pode ter gerado um dos seus nomes populares: erva-cancerosa). Estudos mostram a indicação popular também como depurativo do sangue e no tratamento de diabetes, problemas no sistema urinário e problemas intestinais.

Em uma ampla revisão sobre o uso tradicional do Chá de espinheira santa, Scheffer (2004) cita ainda, como indicação popular, o uso desta espécie como anticonceptivo, abortivo, anti-séptico, anti-espasmódico, diurético, anti-asmático, anti-tumoral, laxativo, cura do vício da bebida e enfermidades do fígado, para tratar a hidropisia devido ao abuso do álcool e para reduzir a produção de leite em quem amamenta.

Atualmente o Chá de espinheira santa já é manipulada pela indústria farmacêutica na produção de vários medicamentos e é sempre bom lembrar que sua utilização deve ser feita por indicação médica e não pela auto-medicação.

O Chá de espinheira santa e uma árvore pequena, ramificada desde a base, medindo até cerca de cinco metros de altura, com distribuição nos estados do sul do país, nos sub-bosques das florestas de Araucária nas margens dos rios. Ocorre também nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, porém em baixa freqüência. Também no Paraguai, Bolívia e Leste da Argentina.

O número de sementes por fruto varia de um a quatro, tendo sido observada uma variabilidade altamente significativa para este caráter dentro da espécie, é uma planta que produz frutos pequenos e vermelhos.

A espécie prefere solos úmidos em ambientes ciliares e, também, desenvolve-se bem sob luz difusa, no interior de sub-bosques, onde a floresta não é muito densa, bem como a pleno sol.

É uma excelente espécie para o plantio com fins econômicos, visando a extração de suas folhas e pode muito bem ser utilizada em Sistemas Agroflorestais.

Para a Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi) essa é uma espécie prioritária para ações de conservação e uso sustentável.

Chá de espinheira santa
Nome cientifico: Maytenus ilicifolia (Schrad.)
Família: Celastraceae
Utilização: altamente medicinal e também muito utilizada como paisagismo.
Coleta de sementes: diretamente da árvore quando começar a queda espontânea das árvores.
Época de coleta de sementes: dezembro a fevereiro
Fruto: carnoso (pouca polpa) deiscente
Flor: branca
Crescimento da muda: médio
Germinação: normal
Plantio: mata ciliar, sub bosque, área aberta.

Chá de espinheira Santa no tratamento gástrico Esofagite

O Chá de espinheira santa ajuda no tratamento gástrico, mas dependendo do caso o correto é sempre consultar uma médico e caso necessário fazer exames para ver o grauem que está seu problema de saúde ou da esofagite gástrica.

Pesquisando sobre o assunto, tem um estudo sobre o Chá de espinheira santa e quais os alimentos que devem ser consumidos e os que devem ser evitados para quem tem Esofagite de refluxo ou em nome popular, a azia, aquela queimação que até perece que tem fogo dentro do estômago e volta dando uma sensação de calor e amargo misturados na boca.

Princípio Ativo do Chá de espinheira santa: Carotenóides, taninos, óleo essencial, terpenos (maitensina, maitomprina, maitombutina e maitolidina), flavonóides, pigmentos antocianina, mucilagens e açúcares.

Indicação da espinheira santa: Afecções gástricas como atonia, hiperacidez, úlcera gástrica e duodenal e gastrite crônica. Trabalho realizado em 1991 mostrou que seu chá é tão eficaz quanto as duas drogas mais usadas para este tratamento: ranitidina e cimetidina.

Como usar o Chá de espinheira santa: Numa xícara de chá, coloque 1 colher de sobremesa de suas folhas picadas, complete com água fervente, abafe por 10 minutos, depois coe e tome 1 xícara de chá antes das principais refeições.

Chá de espinheira santa para gastrite e úlcera receita

O tratamento de úlceras e gastrites pode ser um feito através de um Chá de espinheira santa.

Embora a planta não cure totalmente o paciente, ela é muito útil para aliviar as dores e tem se mostrado eficaz para atacar a gastrite e a úlcera.

Você vai precisar para fazer o Chá de espinheira santa:

Folhas de Espinheira Santa
Uma xícara de chá de água
Modo de Preparo:

Pique as folhas até a medida de uma colher de sobremesa enquanto ferve a água. Apague o fogo e coloque as folhas da espinheira santa e abafe por dez minutos, depois coe.

Posologia

Beba duas xícaras do Chá de espinheira santa nantes das grandes refeições.

Cuidados

No geral não é interessante adicionar açúcar em chás medicianis, mas neste, em especial, o açúcar pode piorar os problemas de gastrite e úlcera.

Chá de espinheira santa como fazer

Modo de preparar o Chá de espinheira santa.

Colocar uma colher das de sobremesa das folhas secas em uma xícara das de chá.
Adicionar água fervente.
Cobrir.
Deixar esfriar.
Coar.
Quando e como usar o Chá de espinheira santa.
Indicação: Má digestão.
Modo de usar o Chá de espinheira santa: Tomar uma xícara de chá após as princi
pais refeições.
Indicação do Chá de espinheira santa: Acidez no estômago, azia, gastrite, flatulência.
Modo de usar: O Chá de espinheira santa pode ser bebido na quantidade de até três xícaras ao dia durante o tempo necessário à cura.
Contra-indicação
Chá de espinheira santa não é indicado para mulheres na face de lactação.

Veja para que serve Chá de espinheira santa

Chá de espinheira santa Família: Celastraceae

Outros nomes do Chá de espinheira santa: cancerosa, cancorosa, espinheira-divina, espinhosa, espinheira-de-Deus, espinheira-santa-do-mato.

Histórico do Chá de espinheira santa: Utilizada pelos índios brasileiros e em vários países da América do Sul.

Desde 1922 ficou conhecida no meio científico, através do trabalho do Dr. Aloisio França da Faculdade de Medicina do Paraná, utilizando a planta para tratamento de úlcera gástrica crônica.

O Chá de espinheira santa é uma árvore pequena, ramificada desde a base, medindo até cerca de cinco metros de altura, com distribuição nos estados do sul do país, nos sub-bosques das florestas de Araucária nas margens dos rios. Ocorre também nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, porém em baixa freqüência. Também no Paraguai, Bolívia e Leste da Argentina.

Ação e indicação: Possui ação antiulcerogênica, laxativa suave, diminui acidez estomacal, combate Helliobacter pylori, diminui refluxos, analgésica digestiva, coadjuvante nos tumores digestivos, normaliza funções gastri-intestinais, cicatriza aftas (bochechos).
Usada popularmente como anticonceptivo. Possui ação diurética suave, desintoxicante, anti-bacteriana, cicatrizante (externamente para feridas, herpes, úlceras, escaras) e combate ressacas alcoólicas.

Efeitos colaterais do Chá de espinheira santa: Não utilizar na fase de amamentação, pois pode diminuir a lactação.

Quais os benefícios do chá de Espinheira Santa

O Chá de espinheira santa é normalizadora das funções gastrointestinais, especialmente como protetora de mucosa (efeito anti-úlcera), gastralgias inespecíficas (azia, gastrites), dispepsias (má digestão), hipotonias intestinais, tonificante, laxante suave, cicatrizante de uso tópico.

As folhas frescas ou secas são usadas para chá-infusão (de 10 a 30 g/L de água dá o equivalente a 3 a 4 xícaras/dia);

O Chá de espinheira santa pode ser usada pelo tempo que se fizer necessário, pois não há efeitos colaterais nas referências da literatura consultada. As contra-indicações são o uso durante a gravidez e a lactação.

É bom lembrar que as informações aqui contidas têm apenas a finalidade informativa, não devendo ser usadas para diagnosticar, tratar ou prevenir qualquer doença, e muito menos substituir os cuidados médicos adequados.
------------------------

Preparações à base de espinheira santa.

Este medicamento pode ser preparado através de infusão (chá), que consiste em adicionar água fervente sobre as folhas rasuradas (rasgadas em tamanhos pequenos) e abafar por alguns instantes.

Normalmente utiliza-se 20g de folhas de Espinheira-Santa para 1 litro de água. Toma-se uma xícara de chá desta preparação antes das principais refeições. Esta forma de uso pode ser alterada pelo médico ou farmacêutico dependendo de cada caso.

Para esta preparação, há a necessidade de se adquirir a Espinheira-Santa seca e é preciso comprar este produto em estabelecimentos com registro na ANVISA e Ministério da Saúde.

Outra forma de uso deste medicamento é o extrato seco que é encontrado na forma de cápsula e recomenda-se ingerir 2 cápsulas de 500mg, duas vezes ao dia, antes das principais refeições ou a critério do médico ou farmacêutico que analisando o caso definirá possíveis alterações.

Há também a possibilidade de fazer uso deste fitoterápico através de tinturas. Neste caso, preconiza-se ingerir 2,5 ml (de um copo medidor que geralmente acompanha o frasco) diluídos em meio copo de água, duas vezes ao dia, antes das principais refeições ou a critério do médico ou farmacêutico que analisando o caso definirá possíveis alterações.

Para estas duas últimas formas de uso, adquira seu medicamento em Drogarias ou Farmácias de manipulação.

Onde cresce a espinheira-santa ?
A Espinheira-Santa prefere solos ricos em matéria orgânica e é originária da América do Sul.
Hoje é distribuída nos estados do sul do Brasil, nos sub-bosques das florestas de Araucária nas margens dos rios.

Ocorre também nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, porém em baixa freqüência. Em regiões do Paraguai, Bolívia e Leste da Argentina, também há a ocorrência desta planta.

Quando colher a espinheira-santa ?
Mas vale dizer que para fins medicinais é mis adequado de um plantio específico e apropriado para isso. Assim sendo a melhor época de plantio é a primavera e o verão e para colheita que é feita apenas uma vez ao ano deve ser realizada somente após dois anos do plantio.

Observações
No conhecimento indígena diz-se também que esta planta combate tumores. Isto esta ainda sendo pesquisado e até a total elucidação desta possível atuação, não é recomendado seu uso para o fim de combate a tumores em geral.

A Espinheira-Santa foi muito utilizada pelos povos da América do Sul como abortivo e isto foi comprovado cientificamente devido a um efeito emenagogo (podendo promover contrações uterinas) e portanto mulheres grávidas não devem fazer uso desta planta. - Mulheres que estão amamentando também devem ter o uso da Espinheira-Santa, restrito, pois a planta em questão leva a uma redução do leite materno.