Chá e Chás

------------------------

Chá de cavalinha para infecção urinária.

Um excelente remédio caseiro para infecção urinária é o chá de cavalinha. Para preparar este chá é preciso 3 g de ervas secas de cavalinha e 200 ml de água.

Adicione as ervas secas de cavalinha na água fervente e deixe descansar por 10 minutos, esse é o tempo necessário para obter uma dose eficaz de substâncias ativas presentes nas folhas da cavalinha. A seguir coe o chá e beba ainda morno preferencialmente.

Esta receita deve ser repetida entre 4 a 6 vezes ao dia e pode ser utilizado no tratamento de infecção urinária e também em caso de cistite.

O material utilizado para fazer o chá de cavalinha pode ser encontrado em farmácias ou em lojas de produtos naturais.

------------------------

Chá de Cavalinha – Emagrecedor e Medicinal – Receita.

A Cavalinha é uma erva que permite fazer um chá medicinal bem eficaz como diurético, antiinflamatório, adstringente genito-urinário e evitalizante.

A Cavalinha age sobre as fibras elásticas das artérias, o que eventualmente, auxilia a diminuição do colesterol. Ela age de maneira específica na inflamação da próstata e é um ótimo auxiliar na cicatrização.

Indicações: Arterosclerose – Afecções de pulmões – Hemorragias renais – Inflamação e edema da próstata – Menstruação excessiva; Hipertensão.

Receita de Chá de Cavalinha com abacaxi
Ingredientes
1L de água
100g de chá cavalinha
100g de casca de abacaxi

Preparo
Em uma chaleira ferva a água. Desligue o fogo e coloque a erva e a casca de abacaxi em infusão por aproximadamente 10 minutos. Sirva quente.
-------------------------

Chá de Cavalinha.

A Cavalinha (Equisetum arvense) também é conhecida como Rabo-de-Cavalo, Cola-de-Cavalo, Milho-de-Cobra, Rabo-de-Rato, Cauda-de-Raposa, Rabo-de-Cobra, Cana-de-Jacaré, Erva-Canudo, Lixa-Vegetal, dentre outros.  Pertence a família das Equisetaceae

A cavalinha tem origem pré-histórica e parece um bambu fino e sem folhas.

A Cavalinha é muito rica em minerais e pode ajudar na recuperação de fraturas e cortes nos ossos, carne e cartilagem, como também pode melhorar o tempo de coagulação de sangue. O alto teor de sílica em sua composição fortalece os tecidos conjuntivos do corpo e também beneficia no tratamento de artrite reumática.

Possui diversas ações benéficas ao organismo como antiinflamatório, adstringente e revitalizante.

 O chá de cavalinha ajuda quem deseja emagrecer.

O chá de cavalinha favorece a dieta essencialmente por conta de seu potencial diurético. Ao consumir chás diuréticos a pessoa perde líquido, tonifica, revitaliza e melhora a produção de fluidos entre as células. Chás diuréticos emagrecem porque aumentam o trabalho dos rins e com isso o organismo libera uma quantidade maior de calorias.

Além de causar inchaços, a retenção de líquidos no corpo aumenta a probabilidade de desenvolver celulite. Portanto, é importante consumir bebidas e alimentos que ajudem o organismo a eliminar o excesso de toxinas.

O chá de cavalinha auxilia a circulação sanguínea, o que melhora o metabolismo, facilitando o processo de emagrecimento.

Cavalinha é uma erva que permite fazer um chá medicinal  bem eficaz como diurético, antiinflamatório,(Por isso é tão usada para aliviar os sintomas da GOTA),adstringente geniturinário e revitalizante.

A Cavalinha age sobre as fibras elásticas das artérias, o que eventualmente, auxilia a diminuição do colesterol. Ela age de maneira específica na inflamação da próstata e é um ótimo auxiliar na cicatrização.

A erva é composta de flavonóides, princípio amargo, alcalóides (equisetonina, nicotina, palustre, palustrina), sílica, cálcio, manganês, magnésio, enxofre, fitosteróis e tanino.A erva é composto de flavonóides, princípio amargo, alcalóides (equisetonina, nicotina, palustre, palustrina), sílica, cálcio, manganês, magnésio, enxofre, fitosteróis e tanino.

Indicações: Acne, artrite, artrite reumatóide, catarro, conjuntivite, diarréia, disenteria, dismenorréia, eczema, edema, feridas, fraturas, gengivite, hemorragia, incontinência urinária, leucorréia, osteoporose, pedras no rim, perda de sangue, problemas nos ligamentos, úlceras, unhas fracas.

A Cavalinha age sobre as fibras elásticas das artérias, o que eventualmente, auxilia a diminuição do colesterol. Ela age de maneira específica na inflamação da próstata e é um ótimo auxiliar na cicatrização.

-------------------------

Chá de Cavalinha - Receita Natural.

Muito utilizada para combater problemas nos rins e na bexiga, a cavalinha é um remédio muito procurado e amplamente utilizado na medicina popular. Aqui daremos a receita do chá de cavalinha.

Você vai precisar de:

1 colher de sopa do caule da cavalinha picado
1 xícara de água
Modo de Preparo:

Coloque a cavalinha na água e leve ao fogo por cerca de 10 minutos. Após isso, abafe e aguarde por mais 15 minutos e coe.

Posologia

Beba duas xícaras de chá por dia. As crianças podem beber meia xícara duas vezes ao dia.

---------------------------

Cavalinha: uma erva mágica.

A Cavalinha é uma erva que permite fazer um chá medicinal bem eficaz como diurético, antiinflamatório, adstringente genito-urinário e revitalizante.
E, pode ser usada também, quando fresca, no preparo de sucos desintoxicantes.
Ela age sobre as fibras elásticas das artérias, o que eventualmente, auxilia na redução das taxas do colesterol. Apresenta também ação específica sobre a inflamação da próstata, além de ser um ótimo auxiliar em processos de cicatrização.
Indicações: Arterosclerose - Afecções de pulmões - Hemorragias renais - Inflamação e edema da próstata - Menstruação excessiva - Hipertensão.
Chá de Cavalinha com abacaxi
Ingredientes: 1 litro de água + 100 g de cavalinha (erva freca ou 50 gramas de erva seca) + casca de de 1 abacaxi (pode colocar também uma rodela picada).
Preparo: Em uma chaleira, aqueça a água até quase fervura. Desligue o fogo e coloque a erva e a casca de abacaxi em infusão por aproximadamente 10 minutos. Sirva quente.
Opcional: Caso não tenha a casca do abacaxi, pode ser usada só a Cavalinha. Ou casca e polpa de maçã...
De bem com a beleza, de mal com as cobras
Como inúmeras outras ervas a cavalinha também era usada para finalidades mágicas. Em tempos remotos, acreditava-se que a planta estava ligada ao planeta Saturno. Com seus caules ocos, os antigos pastores fabricavam flautas que eram usadas para espantar serpentes, daí o nome popular milho-de-cobra. Além disso, sempre foi muito forte a ligação entre a planta e a fertilidade feminina: quando uma mulher queria engravidar, era costume colocar um vaso de cavalinha dentro do quarto.
Dados farmacológicos identificam na cavalinha glicosídeos flavônicos, saponinas, ácido gálico, potássio e silício como os principais responsáveis pela ação diurética e remineralizante, que permitem a eliminação de substâncias tóxicas.
Essa planta funciona ainda como um diurético suave com ação reguladora e adstringente do trato genito-urinário, também usada em casos de incontinência noturna de crianças. Os taninos são responsáveis pela sua ação adstringente.
O silício apresenta propriedades remineralizantes, participa da calcificação dos ossos, age sobre as fibras elásticas das artérias, diminuindo o risco de ateromatose, principalmente em pessoas com colesterol elevado, regularizando o tônus, elasticidade e resistência dos vasos sanguíneos.
Como antiinflamatória ela atua em casos de inchaço e inflamação da próstata. Estimula o metabolismo cutâneo, acelera a cicatrização e aumenta a elasticidade de peles secas e senis, atuando como hidratante profundo.
Também age como abrasivo, em razão do seu alto teor de silício. Ajuda a recuperar a pele e ferimentos. Por suas propriedades adstringentes e detergentes (saponinas) pode atuar como coadjuvante no tratamento externo da acne.
Nos tratamentos de beleza, a cavalinha é muito conhecida: ajuda a evitar varizes e estrias, limpa a pele, fortalece as unhas e dá brilho aos cabelos. Quem quiser experimentar, é só testar. Vamos à prática!
Óleo para prevenir estrias
Coloque um ramo ou caule de cavalinha (já seca) em um vidro pequeno de óleo de amêndoas ou babaçu. Deixe descansar por 30 dias e passe na pele, sempre após o banho.
Infusão para limpeza de pele
Coloque um punhado da planta (fresca ou seca) em uma vasilha e despeje água fervendo. Abafe e deixe descansar por 10 minutos. Depois de fria, use a infusão com um chumaço de algodão, para limpar a pele.
Para dar brilho aos cabelos e fortalecer as unhas
Faça um chá com caules e folhas de cavalinha: 2 colheres (sopa) + 1 litro água. Deixe esfriar e use no enxágue final dos cabelos. Para fortalecer as unhas, deixe amornar e mantenha as unhas imersas por uns 15 minutos.
Confira o Chá Harmonizador do Feminino, onde a cavalinha cumpre função muito importante em todas as síndromes do feminino.

------------------------------

Cavalinha planta.

A cavalinha (Equisetum ssp.) constitui o único gênero da família das equisetáceas, descrito por Lineu em 1753. Seu nome é de origem latina, composto por equi (cavalo) e setum (cauda), ou seja, rabo de cavalo. Esta espécie também é conhecida como milho de cobra, erva-carnuda, rabo-de-rato, cauda-de-raposa, rabo-de-cobra, cana-de-jacaré, erva-canudo, lixa-vegetal, cola-de-cavalo, entre outras.

As cavalinhas são plantas vasculares, perfazendo cerca de 16 espécies de plantas do gênero Equisetum. Este gênero é o único na família Equisetaceae, a qual por sua vez é a única família da ordem Equisetales e da classe Equisetopsida (também conhecida como Arthrophyta em livros antigos), embora algumas análises moleculares recentes coloquem este gênero dentro das Pteridophytas, relacionando-as aos Marattiales. Estes dados moleculares, contudo, são ainda ambíguos. Outras classes e ordens de Equisetophyta são conhecidas a partir de informação fóssil, pois eles foram importantes membros da flora durante o período Carbonífero
O gênero é comum nas cidades e está presente em todos continentes exceto Austrália e Antártica. Elas são plantas perenes e herbáceas, secando no inverno (para a maioria das espécies temperadas) ou sempre verde (para algumas espécies tropicais, e a espécie temperada Equisetum hyemale). A maioria delas cresce 0,2 – 1,5 m de altura, embora a E. telmateia possa excepcionalmente alcançar 2,5 m, e a espécie tropical E. giganteum 5 m, e E. myriochaetum 8 m.
Nestas plantas, as folhas são muito reduzidas, mostrando-se inicialmente como pequenas inflorescências translúcidas. Os caules são verdes e fotossensíveis, apresentando como características distintas o fato de serem ocos, com juntas e estrias.
Considera-se que esta planta tem mais de 300 milhões de anos sendo assim, comparativamente, uma das formas de vida vegetal mais antigas do mundo.

Características.

A cavalinha é uma planta perene. Não possui flores e, consequentemente, nem sementes; algumas espécies possuem folhas verticiladas, mas reduzidas a tamanho insignificante.
O caule é de cor verde, oco, fotossintético, com textura áspera ao tacto por causa da presença de silício e pode ser encontrado de duas maneiras:
o caule fértil, geralmente curto, surge no início da primavera. Apresenta na extremidade a espiga produtora de esporos, que serve para a sua reprodução, que, porém, também pode ocorrer através de rizomas.
o caule estéril, geralmente longo, surge depois que o caule fértil murcha.
Os esporos estão contidos em estróbilos apicais.
Sua composição química é formada por grande quantidade de silício e quantidades menores de cálcio, ferro, magnésio, tanino, sódio, entre outros. ácido caféico, ácido fenol-carboxílico, ácido gálico, ácido palmítico, ácido silícico, apigenina, equisetonina, espermidina, glicosídeos flavônicos, luteolina, nicotina, sacarídeos, sais de potássio, saponinas, taninos, tiaminase. É adaptada a solos húmidos e por ser agressiva e persistente, deve–se cuidar para que não se torne uma erva daninha.
------------------------

Cavalinha aplicações terapêuticas.

Suas propriedades adstringentes e diuréticas, auxiliam no tratamento da gonorréia, diarréias, infecções de rins e bexiga, estimulam a consolidação de fraturas ósseas, agem sobre as fibras elásticas das artérias, atuam em casos de inflamação e inchaço da próstata, aceleram o metabolismo cutâneo, estimulam a cicatrização e aumentam a elasticidade de peles secas, sendo indicada ainda para o combate de hemorragias ou cãibras, úlceras gástricas e anemias.
É usada também como hidratante profundo, ajuda a evitar varizes e estrias, limpa a pele, fortalece as unhas, dá brilho aos cabelos, auxilia no tratamento da celulite e também da acne.
Com fins ornamentais é utilizada na composição da flora de lagos decorativos, em áreas brejosas, etc.
Utilizada em:
- Gargarejos: laringites;
- Compressas: feridas de difícil cicatrização, erupções cutâneas, úlceras;
- Lavagens: feridas de difícil cicatrização, erupções cutâneas, úlceras, pés com transpiração excessiva;
Métodos:
- Infusão de 2 colheres de sopa da erva picada em 500 ml de água. Tomar 2 a 3 xícaras ao dia: hemorragias, anemia, pressão alta, acne, espinhas, clarear o cabelo, remineralizante, diurético, hemostático, epistase;
- Infusão de 30 g da erva (caules estéreis) em 2 litros de água por 15 minutos: celulite. Coe e despeje na banheira. Tome banho de imersão por 20 minutos. 2 ou 3 vezes por semana.;
- Infusão de 80 g fresca ou 40 g seca de erva em 1 litro de água caule: cataplasma nos locais do corpo propensos a celulite;
- Infusão ou decocção a 5%. Tomar 50 a 200ml/dia: diurético;
- Pó: 1 a 2 g por dia, após as refeições (para crianças usar metade da dose). Remineralizante;
- Infusão da raiz: diurética, remineralizante, redução da flacidez da pele e músculos (depois de dietas de emagrecimento);
- Uso externo: vapores, compressas, banhos, gargarejo.
------------------------------


Chá e Chás

Tudo Sobre Emagrecer Emagrecedor.info